Página inicial / Arquivologia / Passeio pelo acervo da família Bornheim, doado à Biblioteca da UCS, revela apreço por tesouros da Literatura da Filosofia
Gerda Bornheim, em 2016, na sala em que mantinha sua biblioteca. Doação foi feita através do seu testamento, em novembro do ano passado Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Passeio pelo acervo da família Bornheim, doado à Biblioteca da UCS, revela apreço por tesouros da Literatura da Filosofia

Coleção de 4 mil livros foi oferecida à Universidade pela poetisa e trovadora Gerda Bornheim em seu testamento. Muitos exemplares eram de seu irmão, o filósofo Gerd Bornheim

Em fase de catalogação, acervo deve ficar disponível para consulta local ainda neste semestre, no setor de Coleções e Obras Raras
Foto: Cláudia Velho / Divulgação

Andrei Andrade

No apartamento da Rua Marquês do Herval em que viveu até o fim dos seus dias, a professora, poeta e trovadora caxiense Amália Marie Gerda Bornheim, morta em setembro do ano passado, mantinha um acervo de mais de 4 mil livros, expostos em estantes que circundavam a sala onde gostava de se dedicar à leitura. Parte considerável dos exemplares pertenceu ao irmão, Gerd Alberto Bornheim (1929-2002), um dos mais reconhecidos filósofos brasileiros, nascido em Caxias do Sul. Sem herdeiros, Gerda registrou em testamento a intenção de doar a coleção à Biblioteca Central da Universidade de Caxias do Sul (UCS), onde desde novembro as obras aguardam pelo trâmite técnico para ficar à disposição da comunidade.

O passeio pelo acervo é uma perdição para quem gosta de mergulhar na intimidade das mentes mais fascinantes. Além das predileções por Jean-Paul Sartre e Martin Heidegger, filósofos cuja obra Gerd foi o introdutor nas universidades brasileiras, há romances de todas as épocas em diversos idiomas, como francês, italiano, espanhol e alemão (Gerd viveu em exílio na Europa entre 1970 e 1974), muitos nunca traduzidos para o português. Um passada de olhos pelas prateleiras também desperta a atenção para as obras completas de Machado de Assis e de Luís de Camões, uma vasta coleção de autores franceses e alemães, antigos compêndios de psicologia e muitas antologias poéticas.

Gerda Bornheim, em 2016, na sala em que mantinha sua biblioteca. Doação foi feita através do seu testamento, em novembro do ano passado
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Embora ainda precise ser feito um estudo sobre a eventual raridade de algumas obras, muitos exemplares chamam a atenção por serem edições bastante antigas, algumas datando da primeira década do século passado. Também é interessante perceber a atenção com que os irmãos liam cada livro – há páginas inteiras sublinhadas e rabiscadas – e o grande zelo com a conservação. A maioria dos exemplares mais antigos tem folhas de louro entre a capa e a primeira página, para espantar as traças. A coordenadora administrativa da biblioteca, Michele Baptista, ressalta que esse acervo, assim como outras coleções especiais, recebem tratamento especial visando a melhor conservação. 

É importante capacitarmos cada vez mais nossos bibliotecários para dar o devido tratamento a esse tipo de acervo, que é o primeiro que recebemos por testamento, mas não queremos que seja o único. É preciso saber reconhecer qual a importância de cada obra e qual a forma de higienização correta. Livros mais antigos, por exemplo, precisam estar na temperatura adequada, para facilitar a resistência do papel, e em ambiente limpo e com menor circulação de pessoas, para que não seja mexido e folheado o tempo todo. A pesquisa também só pode ser feita pelo usuário acompanhado de um funcionário – explica Michele.

Obra de William Shakespeare em edição alemã de 1921
Foto: Cláudia Velho / Divulgação

Por ora armazenados em prateleiras numa sala no térreo da biblioteca, os livros serão higienizados, tratados e catalogados pela equipe da biblioteca. Primeira coleção que a UCS recebe através de testamento, a expectativa é de que ainda no primeiro semestre o acervo passe a integrar o setor de Coleções Especiais e Obras Raras, que permite apenas a consulta local.

Dedicatórias e cartões-postais

Tanto Gerd quanto a irmã poetiza tinham o hábito de usar cartões-postais como marcadores de páginas. Parte do fascínio em descortinar o acervo está na possibilidade de encontrar pérolas que remetem a episódios da vida dos irmãos, como o cartão recebido por Gerd após ter sido afastado de suas atividades como professor na UFRGS, em 1968, cassado pelo regime militar. No postal, remetido de Heidelberg, na Alemanha, um ex-aluno chamado Valério pede desculpas pelo atraso (a carta é de 1969), mas lamenta o ocorrido:

Podes imaginar o quanto isso abateu a Vera e a mim, que nas tuas aulas aprendi a perguntar filosoficamente. Nesse momento obscuro para ti e para todos nós, manifestamos o nosso pesar e a nossa solidariedade”, diz um trecho da mensagem. 

Foto: Cláudia Velho / Divulgação

A passagens marcantes misturam-se dedicatórias singelas, como a que Gerd, com caligrafia exemplar aos 11 anos, oferece o romance Um Rio Imita o Reno (1939), de Vianna Moog, à mãe. Entre os livros que pertenceram à Gerda – que são a maior parte do acervo, já que boa parte da biblioteca do irmão foi doada à Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) – muitos têm dedicatórias de amigas também escritoras, que se referem à poetisa como colega da causa  literária. Também há exemplares ofertados pelas editoras à época do lançamento, tendo em Gerda Bornheim uma leitora especial, digna de receber o exemplar como cortesia. 

Rumo à digitalização

A Biblioteca Central da UCS deve passar por um projeto de digitalização do acervo de coleções e obras raras ainda este ano. Além de favorecer a pesquisa a estudantes de outras universidades, que poderiam pesquisar pelo site, sem precisar se deslocar até a universidade, o processo também ajuda na conservação dos exemplares.  Atualmente, o setor de coleções conta com mais de 30 mil títulos, entre livros, teses e periódicos.

Fonte: Pioneiro

Sobre admin

Check Also

Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial BIBLIOTECÁRIAS(OS) NEGRAS(OS) IMPORTAM! Dia Internacional para a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *