Página inicial / Biblioteconomia / Bibliotecárias(os) / Bibliotecária destaca possibilidades e desafios da profissão

Bibliotecária destaca possibilidades e desafios da profissão

Carreira se adaptou às novas tecnologias e tem expectativa de expansão nos próximos anos

Tininho Júnior
A bibliotecária Danie­la Alexandre da Silva, que atua na biblioteca do Unifeb, explicou so­bre os ramos de atuação, o mercado de trabalho e as perspectivas da car­reira. Natural de Lon­drina no Paraná, Daniela veio a Barretos para de­sempenhar sua profis­são. “Na parte técnica, o profissional trabalha na classificação, indexa­ção, estudo de usuário e no desenvolvimento de base de dados para po­der cadastrar o material. Na parte documental e de metodologias tam­bém”, disse. Segundo ela, o profissional formado em Biblioteconomia tem área de atuação que vai além da própria bibliote­ca. “Além das bibliotecas universitárias, comunitá­rias e públicas, ele pode trabalhar em ONGs, hos­pitais, área jurídica, tudo que envolve informação”, disse Daniela Alexandre da Silva.

TECNOLOGIA

A bibliotecária disse que, assim como várias outras profissões, o bi­bliotecário teve que se atualizar sobre novas tec­nologias para seguir no mercado. “Quando co­meçaram as tecnologias, todo mundo pensou que a profissão iria acabar. Muito pelo contrário. Como há muita informa­ção, é função do bibliote­cário fazer esta filtragem para passar ao seu usu­ário”, contou. “No caso das fake news, podemos pesquisar se aquilo é real ou não para poder passar para frente”, continuou.

CONCURSO PÚBLI­CO

Segundo Daniela, o concurso público segue como opção interessan­te para quem ingressa no ramo da biblioteco­nomia. “Há concursos públicos em que a área do bibliotecário chega a ganhar R$ 20 mil, se for trabalhar no Senado, por exemplo. É uma pro­fissão valorizada, apesar de pouco conhecida”, disse.

COMPETÊNCIAS

Daniela abordou tam­bém as aptidões que o interessado em fazer o curso pode ter para in­gressar no ramo. “É um mito ter que gostar de ler, mas é interessante gostar de ler”, disse. A bibliotecária explicou sobre as disciplinas que o curso normalmente tem. “Fora as técnicas, temos psicologia, intro­dução à administração, marketing e relações pú­blicas. É um curso que abrange várias áreas, até pelo contato que a gente tem com o usuário, que é o nosso cliente final”, contou.

EXPANSÃO

De acordo com a bi­bliotecária, há uma expectativa de cres­cimento da profissão. “Como a partir de 2020, vai começar uma lei que todas as biblio­tecas escolares vão ter que ter um bibliotecá­rio, é uma chance para as pessoas começarem a correr atrás. Porque, quando começar a de­manda, vai ter muito emprego para pouco profissional”, finalizou Daniela.

Fonte: O Diário Online

Sobre admin

Check Also

Live: Agenda 2030 e as Bibliotecas | 18H

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *