Página inicial / Notícias / Unimar e Unesp promovem 3ª Semana Nacional de Arquivos

Unimar e Unesp promovem 3ª Semana Nacional de Arquivos

Da assessoria

O Centro de Documentação da Universidade de Marília (Unimar) em parceria com o Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual Paulista (Unesp) participou da 3ª Semana Nacional de Arquivos, abordando os processos arquivísticos e as ações desenvolvidas para a gestão de documentos e informações.

De acordo com a Pró-Reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Ação Comunitária, Fernanda Mesquita Serva, é um privilégio a Universidade poder promover conhecimento à comunidade através da Jornada. “É uma honra para a Universidade de Marília realizar importantes debates em parceria com a Unesp e qualificar os nossos colaboradores, acadêmicos e toda a comunidade”, celebra.

Segundo o Diretor da Unesp Marília, Marcelo Tavella Navega, a união das Instituições de Ensino engrandece o conhecimento e beneficia a comunidade. “Unir esforços contribui para o bem da ciência e para o desenvolvimento tecnológico. A Unimar e a Unesp são parceiras em vários momentos contribuindo no ensino, pesquisa e crescimento dos nossos acadêmicos”, ressalta.

Promovida pelo Arquivo Nacional e a Fundação Casa de Rui Barbosa, a jornada tem o objetivo de discutir a importância dos arquivos frente aos avanços tecnológicos. Este ano o tema foi “Desenhando Arquivos”. Para a arquivista do Centro de Documentação da Unimar, Danila Alencar, os registros são partes primordiais das instituições públicas e privadas e precisam ser compreendidos.

“Os acervos são reflexos das ações humanas, quer sejam administrativas, culturais e políticas. São eles que vão garantir a memória de um povo e incentivar à produção de conhecimento científico e cultural. A Semana é uma oportunidade de fortalecer vínculos institucionais e divulgar as ações desenvolvidas”, explica Danila.

A segurança dos arquivos com a tecnologia moderna foi um dos assuntos abordados pelos palestrantes. Para o docente da Unesp, José Augusto Chaves Guimarães, a tecnologia desafiou aos arquivistas a promoção de segurança. “A vulnerabilidade dos dados pessoais é um dos maiores desafios do arquivista, na atualidade, porque estão cada vez mais vulneráveis a todo monitoramento e a todo um uso indevido”, diz.

Complementando o debate, o docente da Unesp, Ricardo César Gonçalves Sant’Ana, citou sobre o ciclo da vida dos dados e a atuação do arquivista. Para ele, após o avanço da tecnologia ficou ainda mais essencial a atuação do profissional . “Atualmente não conseguimos mais ter contato direto com o conteúdo, as relações são mediadas por softwares, e é necessário disseminar a informação e aumentar a assimetria informacional para evitar problemas para as organizações”, enfatiza.

Finalizando o debate, a Chefe do Departamento de Ciência da Informação, Maria Leandra Bizello, ressaltou o quão importante é dar visibilidade aos arquivos. “Precisamos chamar a atenção da sociedade para estas questões e ver a real importância da documentação e da informação que não é para um para outro, e para todos”, finaliza.

Fonte: Jornal do Povo

Sobre admin

Check Also

Mais de 100 mil discos de vinil estão sendo digitalizados para qualquer um ouvir

Embora muitos possam achar que as antigas formas de mídia possam estar ultrapassadas, elas ainda …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *