Página inicial / Destaque / TRT DA 2ª REGIÃO PROMOVEU DEBATES SOBRE FUTURO DAS BIBLIOTECAS DA JUSTIÇA DO TRABALHO

TRT DA 2ª REGIÃO PROMOVEU DEBATES SOBRE FUTURO DAS BIBLIOTECAS DA JUSTIÇA DO TRABALHO

Foi realizado, nos dias 19, 20 e 21 de setembro, no Fórum Ruy Barbosa, em São Paulo-SP, o XVII Encontro de Bibliotecários da Justiça do Trabalho.

O TRT da 2ª Região realizou, entre os dias 19 e 21 de setembro, o 17º Encontro de Bibliotecários da Justiça do Trabalho – EBJUT XVII. O evento ocorreu no auditório da Escola Judicial (Ejud-2), no 10º andar do Fórum Ruy Barbosa, em São Paulo-SP, e reuniu bibliotecários e responsáveis pelas unidades de informação deste e de outros regionais, assim como do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

“É uma alegria dupla abrir este evento”, declarou o presidente do TRT da 2ª Região, desembargador Wilson Fernandes. “Primeiro pela sua importância, uma vez que escola sem biblioteca não se completa. Depois porque este é o último evento da Ejud-2 do qual participo na condição de presidente”, lembrou (a posse do novo Corpo Diretivo do TRT-2 será em 1º de outubro).


Na imagem acima, desembargadores Bianca Bastos e Wilson Fernandes

A atual conselheira e futura vice-diretora da Ejud-2, desembargadora Bianca Bastos, cumprimentou o presidente pelo apoio dado à Escola Judicial e falou sobre a importância dos bibliotecários para a Justiça do Trabalho. “Vocês dão um apoio silencioso e eficiente à atuação dos magistrados, colaborando para a efetiva prestação jurisdicional”.

O XVII EBJUT contou com palestras de renomados profissionais da área de biblioteconomia, como o professor doutor Fernando Modesto (USP); Neide Alves Dias de Sordi, mestre em ciência da informação (UNB); e Rosaly Favero Kryzyzanowski (Fapesp). Houve, ainda, a contribuição do juiz titular da 8ª VT/Guarulhos do TRT-2, Rodrigo Garcia Schwartz. Os bibliotecários Rejane Maria Façanha de Albuquerque (TRT-7), Leandro do Nascimento de Souza (TRT-21), Márcia Cristina Ribeiro Simaan (TRT-18) e Virginia Ramos Veríssimo (TST) dividiram suas vivências profissionais com os participantes.

A professora Rosaly, da Fapesp, contou sobre como participou, nos anos 1990, da criação de um programa de biblioteca eletrônica que inicialmente compartilhou conteúdo científico entre 86 bibliotecas da USP, Unicamp, Unesp, Ufscar e um centro de informações em ciências da saúde. O projeto cresceu, foi incorporado pelo portal da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), e hoje reúne 132 bibliotecas e 2.340 títulos virtuais, disponíveis a milhares de professores, pesquisadores e estudantes em todo o país. As principais vantagens do consórcio são a contratação de uma assinatura digital única de publicações para todas as instituições interessadas, barateando o custo e universalizando o acesso aos seus leitores.


Na imagem acima, bibliotecários e representantes de unidades de informação da Justiça do Trabalho

Segundo Messias Pedro de Avila, diretor da Coordenadoria de Biblioteca da Ejud-2, a restrição orçamentária na Justiça do Trabalho tem levado os tribunais a imaginarem uma solução semelhante. Estariam em jogo, no caso, cerca de 30 publicações jurídicas para ser disponibilizadas de forma integrada entre os 25 tribunais do trabalho. “Estamos iniciando estudos nesse sentido”, afirmou.

Texto: Agnes Augusto; Fotos: Allan Lustosa – Secom/TRT-2

Fonte: TRT DA 2ª REGIÃO 

Sobre admin

Check Also

‘O Brasil não é um país leitor, que incentiva a prática da leitura de forma constante e prazerosa’

12 de outubro também é comemorado o Dia Nacional da Leitura Texto por Jenniffer Silva …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *