Página inicial / Sala de Leitura

Sala de Leitura

“O LEITOR COMO METÁFORA: o viajante, a torre e a traça”

Tanto quanto se pode dizer, os seres humanos são a única espécie para a qual o mundo parece composto de histórias, escreve Alberto Manguel. Lemos o livro do mundo de muitas formas: podemos ser viajantes, avançando através de suas páginas como peregrinos que se dirigem para a iluminação. Podemos ser reclusos, retirando-nos através da nossa leitura em nossas próprias torres de marfim. Ou podemos devorar nossos livros como traças, não para nos beneficiarmos da sabedoria que eles contêm, mas apenas para nos enchermos de inúmeras palavras. Neste livro, Manguel considera a cadeia de metáforas que descreveram os leitores e suas relações com o texto em um período de quatro milênios.

Fonte: SESC SP

_______________________________________________________________________

“A Capa do Livro Brasileiro: 1820-1950”

Mesclando a análise da evolução das capas com a história do desenvolvimento do livro, dos editores e dos capistas, Ubiratan Machado oferece uma visão ampla e consistente da história do livro brasileiro do ponto de vista de suas capas. O autor costura a história das capas na trajetória das principais escolas literárias do período em tela, ressaltando as interações entre forma e conteúdo. Dessa forma, passamos pelo romantismo, pelo naturalismo, pelo simbolismo e vemos um grande quadro do modernismo. A alguns dos grandes artistas da capa são reservados capítulos inteiros: J. U. Campos, Di Cavalcanti, Belmonte, Dorca e, talvez aquele que seja pintado com as cores mais belas, Santa Rosa. Naturalmente, há todo um capítulo dedicado à obra infantil de Monteiro Lobato, artista de talentos múltiplos, cuja biografia se confunde com a história do livro na primeira metade do século XX.
Com mais de mil e setecentas imagens de capas, o amante dos livros, Ubiratan Machado, oferece uma densa e coesa história das capas dos livros no Brasil. Obra que nasce original e clássica, tornar-se-á indispensável nas prateleiras de bibliófilos e historiadores. [Felipe Castilho de Lacerda]

Ler um trecho em pdf

O Livro tem 28 de altura por 30 de largura e 4,3 de espessura.

Fonte: Ateliê Editorial

_______________________________________________________________________

¿Cómo atender al usuario de las bibliotecas?

Blazquez Viedma, M. and M. A. Cuadrado Cordero Cómo atender al usuario de las bibliotecas. Salamanca, CITA. Fundación Sánchez Ruipérez, 2016.

Texto completo

¿Cómo es la biblioteca donde trabajo? • ¿Cuál es su misión? • ¿Qué objetivos tiene? Lo que está claro es que nuestro objetivo es aprovechar el impulso del cambio social, cultural y tecnológico que venimos experimentando desde hace unos años y aplicarlo a la forma que tenemos de atender al usuario. Se facilitan las pautas para manejar eficazmente la comunicación con el objeto de ofrecer un mejor servicio al usuario y así satisfacer sus necesidades de información junto con un trato excelente, aprendiendo a crear estrategias para desarrollar la motivación y el trabajo en equipo.

Fonte: Universo Abierto

_______________________________________________________________________

“(eBook) Biblioteca pública: avaliação de serviços”

Sinopse

Considerando que a avaliação está presente e perpassa inúmeras áreas e segmentos da biblioteconomia, abrangendo diversas maneiras de atuação desenvolvidas pelos profissionais da área, o objetivo principal desta obra é o estudo sobre a avaliação no trabalho desenvolvido nos Serviços de Referência e Informação das bibliotecas públicas.

Informações sobre o livro

 Fonte: Eduel – Editora da Universidade Estadual de Londrina

_______________________________________________________________________

“Leitura, literatura infanto-juvenil e educação”

 

Sinopse

Partindo da ideia de que a escola exerce papel de mediadora, no que tange à divulgação e ao consumo de livros específicos para o publico infanto-juvenil, esta obra tem como objetivo refletir sobre as relações entre aquela instituição e esta literatura. A abordagem realiza-se por intermédio de uma vasta seleção de obras que representam a escola, os professores e o ensino. Este livro é imprescindível para professores, estudiosos e interessados em conhecer mais sobre o complexo processo de utilização da literatura infanto-juvenil.

Informações sobre o livro
Título: (eBook) Leitura, literatura infanto-juvenil e educação
Autor(a): Célia Regina Delácio Fernandes
Idioma: Português
Editora: Eduel – Editora da Universidade Estadual de Londrina
Edição: 1
Ano: 2013
Número de Páginas: 320
ISBN: 978-85-7216-690-4

Fonte: Eduel – Editora da Universidade Estadual de Londrina

_______________________________________________________________________

“Biblioteca escolar e a formação de leitores: o papel do mediador de leitura”

Sinopse

De acordo com o autor, o objetivo deste livro é formular um modelo de formação do mediador de leitura em biblioteca escolar que possa ser aplicado em qualquer município do Brasil, respeitando a peculiaridade de cada região. Propõe ainda o desenvolvimento de cursos de formação continuada que possibilitem ao professor mediar a leitura na biblioteca da escola e se utilizar eficientemente dos materiais escritos nela disponíveis.

Informações sobre o livro:

  • Título: Biblioteca escolar e a formação de leitores: o papel do mediador de leitura
  • Autor(a): Rovilson José da Silva
  • Idioma: Português
  • Editora: Eduel – Editora da Universidade Estadual de Londrina
  • Edição: 1
  • Origem: NACIONAL
  • País de Produção: BRASIL
  • Peso: 0,3750 Kg
  • Número de Páginas: 192
  • ISBN: 978-85-7216-551-8

Fonte: Eduel – Editora da Universidade Estadual de Londrina

_______________________________________________________________________

“Arquivística audiovisual: filosofia e princípios”

A arquivística audiovisual é uma área amplamente reconhecida entre as instituições de memória, indústrias e universidades, e apresenta uma gama de políticas de governança para o desenvolvimento de coleções, sua preservação e acesso a elas. Entretanto, o volume crescente de documentos audiovisuais e a rápida obsolescência das tecnologias utilizadas para criá-los são fatores que impõem desafios imensos para os arquivos e os arquivistas de coleções audiovisuais. Esta publicação trata desses desafios e examina as questões levantadas pela migração de imagens e sons do analógico para o digital, além de conceitos mais amplos de preservação e acesso.

Alinhado à Recomendação da UNESCO de 2015 relativa à Preservação, ao Acesso e ao Patrimônio Documental, incluindo o Formato Digital, o Programa Memória do Mundo visa a proteger a memória documental e coletiva dos povos do mundo, assim como torná-la acessível a todos. Espera-se que esta publicação sirva como repositório de sabedoria e conhecimento para aqueles que exercem a profissão de arquivista audiovisual, e também como fonte para o seu trabalho de preservação desse rico legado cultural, para o benefício das gerações presentes e futuras.

Autor: Ray Edmondson

Brasília, UNESCO, 2017. 102 p.

Título original: Audiovisual archiving: philosofphy and principles.

Download gratuito:

Exemplares impressos:

Para solicitar cópias impressas em português, entre em contato com: grupoeditorial@unesco.org.br

Fonte: UNESCO

_______________________________________________________________________

“Memórias digitais: o estado da digitalização de acervos no Brasil”

Os acervos de instituições de memória – como bibliotecas, museus e arquivos – promovem acesso ao conhecimento, à educação e à cultura, além de preservar a memória e a identidade. O desenvolvimento das tecnologias digitais permite que esses acervos sejam divulgados e cheguem a públicos mais vastos, não mais restritos por limitações geográficas. Do ponto de vista geopolítico, trata-se da possibilidade de a cultura de um país e uma língua encontrarem presença qualificada na rede mundial. No Brasil, esse potencial está ainda por ser realizado, ou tem sido realizado de forma bastante desigual regionalmente.
Nesse contexto, o presente livro apresenta os principais desafios enfrentados para a digitalização de acervos, por meio de artigos de renomados profissionais que trabalham com instituições de memórias, em suas mais diversas esferas e em experiências internacionais relevantes.

Fonte: http://editora.fgv.br/memorias-digitais-o-estado-da-digitalizacao-de-acervos-no-brasil

_______________________________________________________________________

“Arquivos pessoais: experiências, reflexões, perspectivas”

O livro é uma coletânea dos trabalhos apresentados no I Encontro Arquivos pessoais: experiências, reflexões, perspectivas , realizado em São Paulo (2015).