Página inicial / Leitura / O PDF destrói a experiência da leitura na infância

O PDF destrói a experiência da leitura na infância

‘A leitura literária de um livro físico é uma experiência sinestésica e artística fundamental para a infância. Sem essa experiência, a formação de leitores fica bastante comprometida’, defende Volnei Canônica em sua coluna

A leitura literária de um livro físico é uma experiência sinestésica e artística fundamental para a infância. Sem essa experiência, a formação de leitores fica bastante comprometida. Podemos apenas contribuir para que as crianças sejam decodificadoras do texto e mantidas à parte das referências sobre a arte visual narrativa.

Os efeitos do livro impresso transformado em formato PDF são tão maléficos que eu poderia enumerar e abordar diferentes questões e ainda não daria cabo de todas. Partindo, evidentemente, da infração da Lei nº 9.610/98 do Direito Autoral, e seguindo pela subtração e desrespeito ao trabalho dos autores e do mercado editorial. Mas vou abordar esses malefícios pela perspectiva na qual atuo de maneira mais efetiva, que me permite fazer afirmações aparentemente duras. São, na verdade, afirmações embasadas na prática da mediação de leitura.

Retomo aqui o pensamento sobre leitura como experiência. De outra maneira, não seria necessário o envolvimento de diferentes artistas na concepção do livro. Na estruturação do seu formato, opção pela natureza do papel específico a cada tipo de leitura, em sua gramatura, a diagramação da obra trabalhando a respiração do texto, o ritmo entre a sequência das páginas gerando a surpresa, um ritmo proposto para o leitor. Você já se questionou por que uma ilustração invade a próxima página ou por que motivo quem projetou o livro deixa uma página sem texto ou sem imagem? Se já se questionou, está entendendo do que estou falando.

Quando livros infantis, projetados para serem impressos e encadernados, se transformam em um arquivo PDF, retorna-se ao formato de leitura em rolo, como era do pergaminho, como na leitura egípcia ancestral. Fazer isso é achatar a tridimensionalidade, deformar as ilustrações, excluir o movimento do livro, aniquilar a textura e o trabalho de diferentes artistas: escritores, ilustradores, diagramadores, editores, revisores, tradutores. Então, quando entregamos um PDF, o que realmente estamos entregando ao leitor?

Leia a matéria completa publicada pelo PublishNews

Sobre admin

Check Also

Descontos: Sociologia e Política Escola de Humanidades – Processo Seletivo 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *