Página inicial / Notícias / Na era da inteligência artificial, Conselho da Justiça Federal lança plataforma que interage com usuários no portal

Na era da inteligência artificial, Conselho da Justiça Federal lança plataforma que interage com usuários no portal

O robô Lia é capaz de aprender, responder dúvidas e automatizar tarefas com o mínimo de intervenção humana

O Conselho da Justiça Federal (CJF) já entrou na era da inteligência artificial! Lançado na sessão do CJF desta segunda-feira (24), o robô Lia (Lógica de Inteligência Artificial) é uma plataforma de Inteligência Artificial (IA) criada para responder dúvidas dos usuários no portal do CJF. O aprendizado de máquina (em inglês, machine learning) baseia-se na ideia de que sistemas podem aprender com dados, identificar padrões e tomar decisões com o mínimo de intervenção humana.

De acordo com o presidente do CJF e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, usuários, magistrados, advogados e servidores serão beneficiados com o advento do sistema que passa por fase de testes e será disponibilizado em breve para o público externo.

A inteligência artificial, hoje, é um programa que nós temos que colocar dentro da Justiça. O STJ já iniciou o seu Projeto Sócrates e agora temos também na Justiça Federal”, disse o magistrado, antecipando também que convocará em agosto uma reunião com servidores da área de Tecnologia da Informação para discutir um padrão de uso da inteligência artificial que se adeque à realidade de todos os Tribunais Regionais Federais.

Lia

Os principais objetivos da nova ferramenta, idealizada e desenvolvida pela Subsecretaria de Engenharia de Software da Secretaria de Tecnologia da Informação do CJF (SUSOF/CJF), são facilitar o acesso à informação e propiciar uma melhor interação com o usuário, além de centralizar e estruturar o conteúdo armazenado no site do CJF.

Na fase inicial, o robô fará consultas à agenda funcional e responderá perguntas frequentes realizadas para a Ouvidoria. De acordo com os criadores do sistema, a intenção é que a Lia colete informações e gere novos dados, adaptando-se, assim, às necessidades do usuário. “Demos à interface uma cara nova e integramos as informações em uma única plataforma. Agora, é possível fazer várias coisas em um chat, por exemplo”, explicou o servidor Diogo Alves Araújo.

Motivação

A ideia de produzir o novo produto surgiu após a apresentação do Programa de Desburocratização e Simplificação da Justiça Federal, o FLUI JF, aos servidores do CJF. O programa, lançado em março, visa incentivar e captar práticas e casos de sucesso na JF que facilitem procedimentos judiciais, extrajudiciais e de administração judicial.

O FLUI JF foi uma inspiração que nos levou à reflexão de ter uma postura mais proativa, de trazer uma solução em vez de ficar esperando o usuário demandar algo para a gente”, complementou o chefe da Seção de Suporte à Engenharia de Software do CJF (SESUPE/CJF), Marcelo Barreto de Arruda.

Para o futuro, a equipe planeja aperfeiçoar ainda mais a plataforma, incluindo uma versão desktop, aplicação mobile, integração com outros sistemas e reconhecimento vocal. O projeto também contou com o apoio da Subsecretaria de Tecnologia e Infraestrutura (SUTEC/CJF) e da Secretaria-Geral do CJF.

Fonte: Conselho da Justiça Federal

Sobre admin

Check Also

Bate-Papo FGV | Desafios e dificuldades na cultura e no mercado editorial no país, Marieta de Moraes

Clique na imagem para assistir o vídeo A cultura perdeu o protagonismo no Brasil no …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *