Página inicial / Notícias / Livros religiosos sofrem menos no afetado mercado editorial

Livros religiosos sofrem menos no afetado mercado editorial

As igrejas aparecem como o quarto canal com maior comercialização de livros.

As igrejas aparecem como o quarto canal com maior comercialização de livros. Foto: Reprodução

É bem verdade que são recorrentes as pesquisas com apresentação de queda da venda de livros no Brasil. Há cinco anos, o setor amarga perdas. A Pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro ano-base 2018, divulgada nesta semana pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), a pedido do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e da Câmara Brasileira do Livro (CBL), evidencia que a crise do segmento ainda persiste. Foram ouvidas 202 editoras brasileiras que, juntas, representam a maior parte do faturamento do setor brasileiro.

No ano passado, as vendas ao mercado tiveram uma queda nominal (sem descontar a inflação) de 6,7% em relação a 2017. Em termos reais (com inflação), significa uma queda de 10,1%. A produção de livros também caiu. Sofreu uma queda de 11% na quantidade de exemplares produzidos. Em termos absolutos, isso representa redução de 43,4 milhões em relação a 2017.

Fenômeno dos livros religiosos

O chamado subsetor dos livros religiosos parece reagir melhor ao cenário negativo. A pesquisa mostra que o faturamento com a venda deste tipo de livro registrou variação positiva entre 2017 e 2018 de 1,07%.

Já em relação ao número de exemplares vendidos apresentou queda de 2,47% na comparação entre os dois anos. Só que esta queda no número de exemplares vendidos foi menor do que a de todos os outros subsetores como os de livros didáticos (queda de exemplares vendidos em 10,63%), obras gerais (-9,66%) e CTP – Científicos, Técnicos e Profissionais (-20,43%).

Mas que mercado é esse de livros religiosos?

Segundo a pesquisa, em 2018 foram vendidos 87 milhões, 61 mil e 285 exemplares de livros desta categoria no Brasil. A participação no mercado editorial total é de 24,88%.

Outro aspecto interessante é que as igrejas aparecem como o quarto canal com maior comercialização de livros. Em 2018, este canal respondeu por 9 milhões, 597 mil e 795 exemplares vendidos.

Fonte: JM Notícia

Sobre admin

Check Also

Bate-Papo FGV | Desafios e dificuldades na cultura e no mercado editorial no país, Marieta de Moraes

Clique na imagem para assistir o vídeo A cultura perdeu o protagonismo no Brasil no …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *