Página inicial / Notícias / Livros raros: a surpresa de encontrar um autógrafo de um ícone literário

Livros raros: a surpresa de encontrar um autógrafo de um ícone literário

Leitoras contam sobre quando compraram livros de grandes autores com autógrafos sem saber. Nos relatos estão obras de Drummond e Rubem Braga

Texto por Sarah Bichara

Aurélia Nascimento com sua obra autografada de Carlos Drummond de Andrade. Crédito: Marcelo Peres de Oliveira

Leitores apaixonados chegam a pagar preços que preenchem a casa dos mil reais em livros autografados por autores famosos. Em matéria da Folha, de 2015, o livreiro Ramon Rodrigues afirmou ter vendido a obra Dom Casmurro, de Machado de Assis, por R$ 24 mil. A busca por essas raridades é consistente e o mercado abrange de sebos especializados a leilões.

Ma há quem não procure pela sorte e a econtre. A professora de literatura e apreciadora de Drummond Aurélia Nascimento comprou o livro de crônicas “Os Dias Lindos” em abril de 2020 e, para sua surpresa, ele veio com dedicatória e autógrafo. A obra pela qual pagou R$ 7,50 no portal Estante Virtual, foi buscada para dar prosseguimento a uma atividade desenvolvida com alunos, não havendo a pretensão de que fosse um objeto raro.

Livro “Os Dias Lindos” de Carlos Drummond de Andrade autografado e com dedicatória. Crédito: Aurélia Nascimento

“Na hora que eu paguei o livro, vi que ele estava meio amarelinho, falei: ‘poxa vida, podeia ter a assinatura de Drummond’. No que eu abro, meu filho tava comigo, eu fiquei tonta, perdi o chão”, relatou Aurélia, dizendo ainda ter sentido a presença do escritor na obra.

O livro tem uma dedicatória direcionada a Fernanda Monteiro e sua família. “A família não deve nem ter percebido o tesouro que tinha nas mãos”, cogitou a professora, que diz ter o costume de comprar livros em sebos, mas nunca havia conseguido algo assim antes.

Lei a matéria completa publicada pelo site A Gazeta.

Sobre admin

Check Also

Bibliotecárias negras brasileira e colombiana produzem livro sobre epistemologias latino-americanas no campo biblioteconômico-informacional

Texto por Priscila Fevrier Qual a incidência de estudos de mulheres negras em Biblioteconomia e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *