Página inicial / Notícias / HQ conta ditadura argentina a jovens

HQ conta ditadura argentina a jovens

‘Esma’, de Juan Carrá e Iñaki Echeverría, tem três objetivos: contar a história, destacar a resistência e não naturalizar o horror daquele período

ReutersJuan Carrá e Iñaki Echeverría em frente à Escuela de Mecánica de la Armada (ESMA), em Buenos Aires
Juan Carrá e Iñaki Echeverría em frente à Escuela de Mecánica de la Armada (ESMA), em Buenos Aires

Dois artistas argentinos buscam manter viva a memória dos horrores sofridos durante a última ditadura militar da Argentina (1976-1983) – que deixou cerca de 30 mil desaparecidos, segundo estimativas – utilizando o formato das graphic novels para dialogar com a geração que cresceu após esse período.

O livro “Esma”, sigla em espanhol para Escola Superior de Mecânica da Marinha – onde funcionou um centro clandestino de detenção e tortura -, do jornalista Juan Carrá e do ilustrador Iñaki Echeverría, tem três objetivos: contar a história, destacar a resistência e não naturalizar o horror daquele período.

“Não tivemos parentes desaparecidos durante a ditadura, mas isso não significa que não nos sintamos comprometidos com a memória desse período. Por isso, nos comprometemos a falar sobre essa parte de nossa história da forma que sabemos fazer de melhor, que é contar histórias”, disse Carrá.

O enredo é narrado através dos olhos de um jornalista fictício que tem de cobrir um julgamento relacionado ao centro de detenção. Sobre a escolha do formato, Carrá disse que o livro e a linguagem em particular “adicionam um olhar que coloca em foco o horror da ditadura para que atinja as novas gerações de uma forma mais atraente”. “(Graphic Novel) é um gênero que nos permite chegar a um público mais jovem e para o qual julgamos ser importante manter viva essa memória.”

Fonte: Diário da Região

Sobre admin

Check Also

SOBRE O MITO DA NEUTRALIDADE EM BIBLIOTECAS, ARQUIVOS E MUSEUS

As instituições de memória precisam colocar em discussão as percepções internas e externas sobre sua …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *