Página inicial / Mercado Editorial / Eventos, Concursos e Prêmios Literários / Festival literário de Jaú celebra a diversidade

Festival literário de Jaú celebra a diversidade

Programação reunirá escritores, músicos e artistas plásticos em debates e saraus

O 1º Festival Literário Independente reunirá 48 atrações e a abertura será no Tijuana Rock Bar. Reprodução Facebook

Jaú – Entre os dias 9 e 18 de novembro, Jaú (47 quilômetros de Bauru) será palco do 1º Festival Literário Independente de Jaú (Flij), promovido pelo coletivo Literocupa e 11 Editora, que reunirá 48 atrações como saraus, café literário, oficinas de poesia, escrita criativa e quadrinhos, apresentações musicais e “rodas de conversa” sobre temas como literatura feminista, periférica, negra, infantil e de cordel. Os autores Michel Yakini, Daniel Carvalho, Poeta em Queda, Mariana Lacava e Mateus Grava são alguns dos convidados.

Segundo os organizadores, a iniciativa tem por objetivo estimular e facilitar o acesso da população às mais diversas vertentes da literatura e atividades culturais. Trata-se de uma iniciativa totalmente independente, sem nenhum apoio do poder público, e todas as atrações são gratuitas.

“Nossa ideia é criar uma conexão do espectador com a leitura e com a arte, permitindo às pessoas que despertem seus próprios critérios de interpretação”, diz Tamires Frasson, do Literocupa – coletivo que há mais de dois anos ocupa espaços públicos para realização de saraus, varais de poesia e oficinas literárias.

“Nós, da 11 Editora, sempre publicamos títulos que falam sobre o negro, a mulher, o interiorano, a periferia, o Nordeste, valorizando a diversidade”, conta Léa Prado, sócia-proprietária da 11 Editora. “Estamos levando um pouco de tudo isso ao festival, com atrações que se contraponham a esses tempos bicudos e mostrem a beleza da literatura, da música e das artes plásticas”.

PROGRAMAÇÃO

A programação será aberta no dia 9, a partir das 19h30, no Tijuana Rock Bar. Estão programadas duas rodas de conversa: “Literatura de cordel como patrimônio cultural brasileiro”, com Francisco Carlos Pontes, e “A Literatura Negra no Brasil e sua importância na representatividade”, com Sara Poetiza, Bruno Caldeira, Alan Tomaz e Cleber Amaral, com mediação de Jussara Felipe. Também haverá oficina de xilogravura, com Eder Grassi, sarau e exposição de fotografias do jornalista Rodrigo Castro.

No dia 10, as atividades prosseguem das 13h às 17h, na Escola Estadual Jardim dos Pires I, com oficina de poesia, sarau, música, contação de histórias pelos alunos e roda de conversa sobre “Literatura Marginal” com o poeta e professor Daniel Carvalho, mestre em Letras pela Universidade de São Paulo (USP).

Das 17h às 20h, o festival ocupa o Vitrolê Cultural e traz a exposição Trop-ciclagem, com Eder Grassi, apresentação musical com Gabriel Chapolin e a roda de conversa “O papel da literatura na sociedade”, com Poeta em Queda, Thiago Athayde e Matheus Grava, tendo como mediador Rafael Augusto.

Fonte: JCNET

Sobre admin

Check Also

Campanha de conciliação 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *