Página inicial / Fontes de Informação / Esta enciclopédia online coleta dados sobre mídias obsoletas

Esta enciclopédia online coleta dados sobre mídias obsoletas

Texto por André Cabette Fábio

Plataforma ‘Museum of Obsolete Media’ é tocada por professor britânico, que começou a pesquisar assunto em 2006

Disco de vinil, fita cassete compacta, microcassete, laserdisc, betamax, WAV, WMA, DVD ou blu-ray são apenas alguns dos vários formatos usados no decorrer do tempo para gravar arquivos de áudio.

No início de 2006, o bibliotecário e professor britânico Jason Curtis começou a estudar o assunto, e coletar informações sobre diferentes formatos usados para armazenamento de dados. Ele organizou o que aprendeu em uma plataforma online chamada Museum of Obsolete Media.

No site, ele escreve que o assunto interessou a ele quando percebeu que muitos dos formatos que havia conhecido quando mais jovem, como fitas de vídeo, fitas cassetes e disquetes, estavam desaparecendo. “Alguns eram substituídos por outros arquivos, porém, cada vez mais, sem nenhum formato físico, à medida que o conteúdo passa a ser entregue por meio da internet.”

Ele afirma que nesse processo se surpreendeu com a quantidade de formatos existentes. “Conforme a coleção crescia, eu ficava sabendo de mais e mais formatos dos quais eu nunca tinha nem ouvido falar, e a vontade de colecioná-los aumentou. A coleção nunca ficará completa, já que muitos formatos são tão raros que é difícil achar informações sobre eles.”

A coleção traz formatos conhecidos, assim como obscuros, e é dividida em:

Áudio, como o “magnabelt”, uma cinta magnética usada para gravar vozes, lançada pela IBM em 1961.

FOTO: REPRODUÇÃO MAGNABELT, LANÇADO PELA IBM EM 1961

Formatos de vídeo, como o TeD, ou television electronic disc, um formato lançado em 1975 pela Telefunken e pela Teldec na Alemanha Ocidental, com capacidade para 10 minutos de vídeos em cores.

FOTO: REPRODUÇÃO TELEVISION ELECTRONIC DISC, LANÇADO EM 1975 POR TELEFUNKEN E TEDEC

Formatos de dados, como o Miniature Card, lançado em 1995, com capacidade de até 64 megabytes e compatibilidade com os formatos ROM, DRAM e SRAM. Ele concorria com CompactFlash e SmartMedia.

FOTO: REPRODUÇÃO MINIATURE CARD, LANÇADO EM 1995

Formatos de filmes, como o VistaScreen, lançado em 1955 por uma empresa britânica homônima e usado para visualizar fotografias ou ilustrações 3D.

FOTO: REPRODUÇÃO VISTASCREEN, LANÇADO EM 1955 POR EMPRESA HOMÔNIMA EXPRESSO O arquivo de fotografia criado coletivamente por colombianos

Fonte: NEXO JORNAL

Sobre admin

Check Also

Livros além das grades: por que focar nas Bibliotecas Prisionais?

Entrevista com Lisa Krolak, do “Instituto para a Aprendizagem ao Longo da Vida” da UNESCO …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *