Página inicial / Notícias / Escritor nascido em comunidade funda editora e gráfica em Heliópolis

Escritor nascido em comunidade funda editora e gráfica em Heliópolis

Morador de uma das maiores favelas de SP cria projeto para revelar talentos

Jornal Nacional
Morador de uma das maiores favelas de SP cria projeto para revelar talentos

Morador de uma das maiores favelas de SP cria projeto para revelar talentos

Como morador de favela desde que nasceu, o escritor Paulo César Marciano sempre soube que a vida pode ser dura. Mas, para ele, a falta de oportunidades ficou bem clara ao tentar fazer algo que não era comum em Heliópolis, uma das maiores favelas de São Paulo.

Quando a vontade de escrever e publicar livros foi recebida com rejeição. “Quem vai querer ler um autor favelado? É preconceito ou pelo menos é uma visão que, de certa forma, nos prejudica diretamente”, afirma.

Dez anos se passaram até que, agora, ele escreveu seu melhor capítulo: arrumou patrocínio e fundou uma editora e gráfica. O equipamento simples fica na sala de uma biblioteca da região. A notícia se espalhou e os talentos foram aparecendo. Como Ana Luiza, de 14 anos, com seu primeiro texto: “Muita gente não imagina isso de mim. Geralmente eles pensam que eu não faço nada da minha vida. Mas descobrem que eu tenho uma grande criatividade. E vai ser legal ver a expressão de todo mundo lendo”.

Todos os estilos, todos os temas são bem-vindos! É para incluir e não excluir ninguém, diz Paulo César. E muitas histórias são relacionadas ao que se vive no local. “A gente precisa fomentar também novos leitores. A gente vai pra rua, a gente vai colocar tenda na rua, a gente vai pra calçada, a gente vai para as praças. Então, a ideia é fazer um movimento aqui pra incentivar a leitura. Consequentemente a gente tem novos leitores”, explica.

Para mudar a realidade de um lugar é preciso atingir o maior número possível de moradores. Por isso esse projeto, em Heliópolis, se estende não apenas a quem tem algum jeito com as letras. A ideia é formar pessoas que participem de todo o processo de fabricação de um livro.

Pelo menos 50 autores vão ser lançados até 2019. Os alunos de uma escola técnica do bairro estão animados. Levaram quatro meses para escrever, em textos de cordel, seus sonhos, desejos e o que enfrentam no dia a dia.

Versos que fortalecem Heliópolis e cada morador. “Acho que esse projeto ele vem só para ser mais uma ferramenta do que já tem sido feito na nossa comunidade para mostrar o valor de cada indivíduo”, diz Paulo.

Fonte: Jornal Nacional

Sobre admin

Check Also

Eleições CFB 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *