Página inicial / Notícias / Dia do Leitor é comemorado na segunda semana de janeiro

Dia do Leitor é comemorado na segunda semana de janeiro

Larissa Seretti

Imagem ilustrativa (fonte: Freepik)Clique para baixar a imagem

A leitura traz conhecimento e leva a lugares distantes. Além disso, é um ótimo exercício para a mente e desperta a curiosidade. Em homenagem àqueles que se permitem levar pelas palavras, foi criado o Dia do Leitor, celebrado anualmente no dia 7 de janeiro.

A data comemorativa é uma homenagem ao jornal cearense “O Povo”, fundado na mesma data em 1928, pelo poeta e jornalista Demócrito Rocha. O veículo ficou conhecido por publicar fatos políticos de corrupção. Nele, havia um suplemento chamado “Maracajá”, onde o movimento modernista literário cearense era divulgado.

Muitos projetos de lei na Assembleia Legislativa de São Paulo apoiam o acesso à literatura, como o PL 733/2018, recentemente aprovado pelos deputados. A proposta cria o programa “Literatura de Cordel nas Escolas”, uma forma de levar conhecimento sobre a cultura popular brasileira aos alunos e fazer com que esse tipo de leitura se multiplique. Para o autor da proposta, o deputado Gil Lancaster (PSB), propagar a cultura de cordel nas escolas é capaz de impedir que o cordel acabe. “A escola tem um papel fundamental no fomento e promoção da cultura nacional, trazendo a sua valorização para os estudantes e auxiliando na prevenção e erradicação do preconceito quanto à regionalização”.

Outro projeto aprovado na Alesp propõe a disseminação da leitura para além dos muros das escolas. O PL 68/2014 cria o programa “Cesta Básica do Livro”, que destinará acervos de no mínimo dez obras a alunos da rede pública de ensino e suas famílias. Para o deputado Carlos Giannazi (PSOL), autor da medida, o livro é fundamental para a valorização da leitura. “É um item de necessidade básica, que alimenta a cultura da comunidade”.

Em São Paulo existem vários projetos literários feitos para quem gosta de uma boa leitura. Um deles acontece na Biblioteca Mário de Andrade, onde é ralizada uma feira de troca de livros no último sábado de cada mês. Basta levar obras literárias em bom estado para participar. Além disso, acontecem os “Cafés Literários”, encontros para debater sobre ilustres obras literárias e seus autores. O próximo evento será dia 27/1, às 14h, sobre o livro “A Ciranda das Mulheres Sábias”, de Clarissa Pinkola Estés.

Já as crianças podem se divertir na Biblioteca Municipal Monteiro Lobato. Fundada em 1936 pelo Departamento Municipal de Cultura, o local só foi intitulado com o nome atual em 1955. Lá se encontra a Gibiteca, um espaço dedicado somente a gibis.

Para quem está interessado em oficinas e cursos, a Casa Guilherme de Almeida realiza essas atividades. Entre os dias 14 e 18 de janeiro, das 14h30 às 17h30, acontece a oficina “Pequenos Reparos em Livros e Documentos”, ministrada pela jornalista Marlene Laky, cujo objetivo é capacitar o aluno a estabilizar danos em livros e outros documentos. É cobrada uma taxa material de 50 reais.

Biblioteca Mário de Andrade

Local: Rua da Consolação, 94 ” Centro ” São Paulo ” SP

Visitação: de segunda à sexta, das 8h às 22h

Sábados e domingos, das 8h às 20h

Tel: (11) 3775-0002 | 0003

Biblioteca Municipal Monteiro Lobato 

Local: Rua General Jardim, 485 ” Vila Buarque ” São Paulo ” SP

Visitação: de segunda à sexta, das 8h às 18h

Sábados, das 10h às 17h e domingos, das 10h às 14h

Tel: (11) 3256-4438 |

(11) 3256-4122

Casa Guilherme de Almeida 

Local: R. Macapá, 187 ” Perdizes ” São Paulo ” SP

Visitação: de terça a domingo, das 10h às 18h

Atividades culturais e educativas: das 19h às 21h Sábados e domingos, das 10h às 19h

Tel: (11) 3673-1883 | 3803-8525

Fonte: Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo

Sobre admin

Check Also

Frente pede a efetivação do Plano Municipal do Livro em São Paulo

Uma das principais ações pleiteadas pela Frente é a aprovação do Projeto de Lei que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *