Página inicial / Notícias / Conheça Andreia Sávio, a araraquarense que leu 100 livros em um ano

Conheça Andreia Sávio, a araraquarense que leu 100 livros em um ano

Por semana, Andreia lê em média dois livros, isso é o que muitos brasileiros leem em um ano

Fernanda Manécolo
O apelido de papa-livros cabe bem para a promotora de vendas Andreia Cristina Sávio, de 43 anos. No ano passado, segundo uma estatística da Biblioteca Municipal de Araraquara – “Mario de Andrade”, ela emprestou 100 livros. Leu todos.
Andreia Sávio, uma super leitora de Araraquara (Fotos: Amanda Rocha)

“É bastante coisa, mas tem livro que vai rápido e você lê em quatro dias. Também algumas vezes leio mais de um livro ao mesmo tempo”, explica.

Por semana, Andreia lê em média dois livros, isso é o que muitos brasileiros leem em um ano, de acordo com a pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, desenvolvida pelo Instituto Pró-Livro.

Na Biblioteca de Araraquara, a promotora de vendas é uma das frequentadoras mais assíduas e conhecidas. “Estou na biblioteca duas vezes por semana. Quase não tenho livros em casa, a maioria dos livros que leio são emprestados. Eu adoro a biblioteca, é atualizada e tem muitos títulos novos”, diz Andreia, comparando com outras de cidades da região onde morou.

Andreia Sávio lê em média dois livros por semana (Fotos: Amanda Rocha)

A promotora de vendas conta que desde pequena gostava de ler, principalmente gibis, mas foi na faculdade, quando cursou Ciências Sociais, que desenvolveu o gosto pelos livros. “Na faculdade tinha muita coisa para ler e foi então que ganhei ritmo e não parei mais”.

“O livro é fantástico, nos transporta para mundos diferente, distantes. Quando eu estou lendo eu viajo é lindo”, resume.

Andreia afirma que não consegue ficar sem livro em casa. “Eu gosto de tudo. Leio de tudo um pouco, às vezes uma pessoa comenta de determinado livro e eu quero logo ler para ver como é”, diz ela.

Emoção 
Andreia destaca a emoção que sente ao ler. “Eu chorei horrores lendo a continuação de O Vento Levou. Lendo Carandiru eu sentia como se estivesse na cadeia; em A Casa Das Sete Mulheres, também parecia que eu estava vendo cada cenário descrito”, afirma.

Entre os favoritos estão alguns que a promotora leu mais de uma vez, como O Pequeno Príncipe; o romance Pollyanna, onde sempre chora, assim como O Caderno de Noah, que inspirou o filme diário de uma paixão.

“Já assisti muitos filmes inspirados em livros, mas não é igual. Algumas vezes eu me decepciono com o filme, mas talvez porque amo muito livros”, finaliza.

Veja vídeo: 

 Fonte: ACidade ON

Sobre admin

Check Also

Biblioteconomia da PUC-Campinas é nota 5 no MEC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *