Página inicial / Literatura / Conheça as iniciativas do Governo Paulista para incentivar a arte literária

Conheça as iniciativas do Governo Paulista para incentivar a arte literária

Secretaria da Cultura do Estado mantém vários programas que proporcionam oportunidades aos interessados em literatura

A literatura é uma arte capaz de transmitir diversos ensinamentos e emoções. Além de expressar múltiplas perspectivas de uma realidade recriada, a prática também nos permite adquirir conhecimento e sabedoria, de modo a fortalecer o crescimento pessoal e intelectual. Em apoio a essa atividade, a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo mantém vários programas que proporcionam oportunidades aos interessados na arte literária.

Voltado especificamente ao gênero de romance, o Prêmio São Paulo de Literatura foi criado em 2008 e, desde então, é realizado anualmente. O objetivo é valorizar a criação literária em língua portuguesa e estimular novos autores. Assim, cada edição tem como foco a produção literária do ano anterior.

Categorias

Composto por duas categorias, concorrem ao “Melhor Livro do Ano” os autores que já tenham publicado romances anteriormente. A categoria “Melhor Livro do Ano: Autor Estreante” é destinada a escritores novatos no gênero, mesmo que já tenham publicado livros de contos, poesia e reportagens, entre outros.

Obrigatoriamente, as obras devem ser em modelo impresso e a primeira edição mundial deve ter sido lançada no Brasil. Na competição, inicialmente, o júri, composto por dez especialistas do meio literário, faz a seleção de dez finalistas em cada categoria. Depois dessa etapa, com cinco integrantes, cabe ao júri final a escolha de apenas um vencedor para cada categoria.

O Prêmio São Paulo de Literatura oferece R$ 200 mil para o ganhador da categoria “Melhor Livro do Ano”. Já para o vencedor do “Melhor Livro do Ano: Autor Estreante”, o prêmio é dividido para escritores com até e mais de 40 anos: cada um leva para casa a quantia de R$ 100 mil.

Em 2017, houve 201 romances concorrentes, dos quais 98 na categoria “Melhor Livro do Ano” e 103 autores estreantes. Os finalistas foram Maria Valéria Rezende, com a obra denominada “Outros Cantos”, na categoria “Melhor Livro do Ano”, Franklin Carvalho, com o livro “Céus e Terra”, estreante com mais de 40 anos, e Maurício de Almeida, com o exemplar “A Instrução da Noite”, estreante abaixo de 40 anos.

Casa das Rosas

Composta pelo estudo e propagação da poesia e da literatura, a Casa das Rosas promove eventos culturais com uma intensa programação de atividades. O espaço realiza oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais, entre outras práticas.

Com aproximadamente 20 mil volumes, o acervo, denominado Espaço da Palavra, tem acesso livre para leitores cadastrados. Os livros podem retirados em até dois volumes por vez, com direito à renovação, desde que não haja reserva da obra. No ano de 2017, o museu recebeu mais de 239,5 mil pessoas.

Casa Guilherme de Almeida

A Casa Guilherme de Almeida, além de ser o primeiro museu-casa biográfico e literário da cidade de São Paulo, também é composta por um acervo de móveis, peças decorativas e objetos de arte, como livros, quadros e utensílios que foram colecionados pelo poeta e pela esposa. Inaugurado em 1979, o espaço teve um público de mais de 11,6 mil pessoas em 2017.

Marcada por contações de histórias e encontros com escritores consagrados, o programa Viagem Literária desenvolve atividades significativas anualmente, sempre no segundo semestre do ano. Criado em 2008 e reestruturado em 2012, o programa é executado em três módulos.

Na primeira fase, contadores de histórias se apresentam em todos os municípios participantes. Na segunda fase do projeto, ocorrem encontros entre escritores e público, geralmente nas bibliotecas de cada cidade. Na terceira fase, oferecida uma capacitação, em São Paulo, aos funcionários das bibliotecas municipais. Na 10ª edição, em 2017, o Viagem Literária percorreu 90 municípios e contou com 340 atividades.

ProAc Editais

Para descentralizar o acesso da população à arte, o ProAc Editais apoia financeiramente projetos artísticos, selecionados por meio de editais, para estimular a circulação de espetáculos e a produção em cidades do interior e litoral de São Paulo.

Lançados anualmente, os editais funcionam como concursos, nos quais as iniciativas inscritas são avaliadas por uma comissão composta por especialistas do segmento escolhido, podendo ser nas áreas de expressões culturais, tais como, teatro, dança, música, literatura, circo, artes cênicas para crianças, festivais de arte, audiovisual, museus, diversidade e artes visuais.

Os selecionados recebem prêmios em dinheiro, pré-estabelecidos nos editais. Os grupos beneficiados pelo ProAC devem obrigatoriamente oferecer contrapartidas sociais, na forma, por exemplo, de exibição de espetáculos a preços populares ou gratuitos.

Assim, o programa também promove o acesso da população à produção artística regional. Criado em 2009, o ProAc Editais recebeu um total de 5.218 projetos inscritos e selecionou 416 projetos.

Biblioteca de São Paulo

Contribuir para o incentivo à leitura e aproximar o universo dos livros de públicos diversificados é um dos objetivos da Biblioteca de São Paulo. Além de tentar seguir o conceito de “biblioteca viva”, assim como a Biblioteca Villa-Lobos, o acervo é diversificado e acessível justamente para contribuir para que todos tenham acesso à leitura e à cultura.

Com uma programação cultural que inclui palestras, contação de histórias, cursos, oficinas, discussões sobre temas literários, intervenções teatrais, apresentações musicais, cursos diversos e brincadeiras, a Biblioteca de São Paulo também contará com uma Oficina de Escrita Criativa: Tecendo Palavras – Entre a Memória e a Ficção, com o escritor Marcelo Maluf, em 18 e 25 de abril, das 14h às 18h.

A oficina apresentará autores e obras que mergulham nesse universo e, a partir dessa premissa, proporá aos participantes que também produzam textos ficcionais e memoriais. A ação é indicada para visitantes a partir de 16 anos e as inscrições podem ser realizadas pelo site da biblioteca.

Fonte: SP Notícias

Sobre admin

Check Also

Boletim Estatístico das Bibliotecas Públicas de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *