Página inicial / Notícias / CINCO EDITORAS QUE O FÃ BRASILEIRO DE HQS E FICÇÃO CIENTÍFICA PRECISA CONHECER

CINCO EDITORAS QUE O FÃ BRASILEIRO DE HQS E FICÇÃO CIENTÍFICA PRECISA CONHECER

Nunca tivemos tanta opção no país

Há 10 anos, não se imaginava que a ficção científica tivesse espaço no campo literário do Brasil. A Editora Aleph, fundada em 1984, passou a apostar em grandes clássicos do gênero, trazendo relançamentos de autores como Isaac Asimov, Phillip K. Dick e Arthur C. Clarke. Provou-se que sim, o brasileiro lê sci-fi. De maneira similar, a DarkSide Books se estabeleceu com o terror e, juntas, as duas e abriram portas para demais editoras explorarem dois gêneros que tanto gostamos — independente da mídia.

Do lado dos quadrinhos, a Panini tem dominado o mercado que outrora pertencera à Editora Abril, publicando os grandes títulos de super-heróis, tanto da Marvel quanto da DC Comics. Como consequência do sucesso estrondoso de filmes inspirados em HQs no cinema, o público reencontrou — ou até teve o primeiro contato com esse universo — o interesse em ler a fonte primária desse vasto material.

A Pipoca & Nanquim começou como um canal no YouTube sobre HQs e, a partir de 2017, passou a publicar quadrinhos como editora.

Sem contar com as editoras citadas acima, mais tradicionais e estabelecidas, existem outras que, apesar de chegarem depois, chamaram igualmente a atenção dos que já estavam na festa. Apostando em autores menos óbvios, títulos que sequer imaginávamos que chegariam ao país estão ganhando edições caprichadas e com qualidade de “gente grande”. Apesar da crise editorial e de livrarias sendo fechadas, nunca houve tanta opção e tanta indecisão na hora de tentar escolher um só título para levar pra casa.

Abaixo, selecionamos cinco editoras que todo fã brasileiro de histórias em quadrinhos e ficção científica deve ficar de olho.

Editora Morro Branco

A Editora Morro Branco estreou no mercado editorial em 2016, com o lançamento de A Biblioteca Invisível (Genevieve Cogman). Desde então, o que mais chama a atenção em suas publicações é a diversidade de escritores e de temas escolhidos. Tudo bem que temos autores da Inglaterra e Estados Unidos, mas há também a presença de autores originados em países menos convencionais, como Noruega, Islândia, Suécia, Finlândia, Jamaica e França. Temas como preconceito, homossexualidade, feminismo, empoderamento e meio ambiente estão em pauta na Morro Branco e vale ressaltar a quantidade de autoras mulheres em seu catálogo, que tem Octavia Butler e Margaret Atwood (autora de O Conto da Aia), como principais destaques.

Editora Mino

“Casa do antigo e do novo, do consagrado e do inovador, insatisfeita, quebrando barreiras e buscando novos horizontes para o quadrinho brasileiro” é como a Editora Mino, na ativa desde 2014, se descreve. Prato cheio para os amantes do quadrinho independente, a Mino tem em seu catálogo obras como Condado de Essex, Gideon Falls, O Soldador Subaquático (todas de Jeff Lemire, também autor de Black Hammer), Zonzo (Joan Cornellà) e A Vida É Boa, Se Você Não Fraquejar (Seth), além de apostar muito no mercado nacional e publicar autores “nossos”. Para quem quer fugir das HQs de super-heróis, esta pode ser uma fonte confiável, que renderá horas de leituras prazerosas e reflexivas.

Editora Nemo

Pílulas Azuis (Frederik Peeters), O Mundo de Aisha (Ugo Bertotti), O Muro (Céline Fraipont) e o mais recente lançamento David Boring (Daniel Clowes) são alguns dos exemplos de quadrinhos publicados pela Editora Nemo, selo de HQs e Graphic Novels do Grupo Autêntica. Originada em 2011, os títulos da editora tratam de assuntos cotidianos e extremamente palpáveis, como amor, depressão, e histórias de vida tocantes, que parecem simples ao olhar mais despercebido, mas despertam emoções fortes no leitor mais atento.

Pipoca & Nanquim

Três amigos apaixonados por quadrinhos que sentiam falta de conteúdo voltado ao assunto no Brasil e decidiram explorar o tema no YouTube, em 2009. A Pipoca & Nanquim começou como um canal informativo sobre HQs de todos os gêneros, mas, em 2017, o trio composto por Alexandre Callari, Daniel Lopes e Bruno Zago resolveu entrar para o mercado editorial e, juntos, fundaram a própria editora, mantendo o mesmo nome do canal. Moby Dick (Christophe Chabouté), Um Pequeno Assassinato (Alan Moore e Oscar Zárate), Conto de Areia (Jim Henson, Jerry Juhl e Ramón K. Pérez) e A Arte de Charlie Chan Hock Chye (Sonny Liew) estão entre alguns dos “petardos” que o P&N já lançou por aqui e, a partir de 2019, podemos esperar lançamentos de quadrinhos originais do selo.

Plutão Livros

A Editora Plutão nasceu em junho de 2018 (ainda não completou um aninho sequer!) e, assim como a Morro Branco, também tem a proposta de trazer histórias clássicas e contemporâneas à ficção científica, com foco especial na qualidade e diversidade. No entanto, a Plutão está focada totalmente no mercado digital e trabalha com duas linhas distintas de publicação: “trazer clássicos já ‘esquecido’ ou desconhecidos pelo leitor brasileiro, sem publicação em português ou há muito tempo fora de catálogo; do outro, originais contemporâneos — obras produzidas no Brasil do presente”. O primeiro autor a ser publicado foi ninguém mais nem menos que Machado de Assis, com o livro Sobre a imortalidade de Rui de Leão.

Fonte: IGN

Sobre admin

Check Also

Câmara Municipal homenageia Bibliotecárias do Ano nesta sexta-feira

Por REDAÇÃO Crédito: Divulgação A Câmara Municipal realizará nesta sexta-feira, 22, às 19h30, no Edifício Euclides …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *