Página inicial / Ciência da Informação / Informação em Arte

Informação em Arte

MAM SP inaugura exposição Fernando Lemos: ilustrações literárias

Créditos: Divulgação
Museu de Arte Moderna de São Paulo está em cartaz com a exposição Fernando Lemos: ilustrações literárias, que pode ser visitada na Biblioteca Paulo Mendes de Almeida, no horário de funcionamento do museu, de segunda a sexta-feira. A mostra reúne desenhos originais do artista que ilustraram contos e poemas ao longo de seu período de colaboração com o jornal O Estado de S. Paulo, na década de 1950, jogando luz sobre sua atuação como designer e ilustrador de publicações.

Fernando Lemos (Lisboa, 1926) já atuava como fotógrafo e artista gráfico em Portugal quando emigrou para o Brasil em 1953. Instalado por algum tempo na Pensão Mauá, no Rio de Janeiro, Lemos fotografou escritores e artistas ao seu redor.

Créditos: Divulgação

Os traços geométricos utilizados por Lemos já apresentavam sinais da modernidade, acompanhando o movimento abstrato que acabara de chegar ao Brasil. “Assim, é possível revisitar um período de nossa cultura em que as artes gráficas e a literatura mantiveram uma relação criativa e potente“, conta Felipe Chaimovich, curador da exposição.

Serviço

Fernando Lemos: Ilustrações Literárias

Biblioteca Paulo Mendes de Almeida

Museu de Arte Moderna de São Paulo

Parque Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/n° – Vila Mariana, São Paulo – SP, 04094-000

(11) 5085-1308

A partir de 15/10/2019 de terça a sexta-feira, das 10 às 18h

Fonte: Acesso Cultural

Como foi o III Seminário de Informação e Documentação em Arte

A terceira edição do Seminário de Informação e Documentação em Arte, realizada no dia 23 de novembro de 2018, na Escola de Comunicações e Artes da USP, teve como tema Livros de Artistas: da Criação ao Acesso.

Os vídeos com a íntegra das palestras e do debate já estão disponíveis no IPTV-USP, plataforma de vídeos didáticos, científicos e culturais da Universidade de São Paulo.

Primeira parte:
http://iptv.usp.br/portal/video.action?idItem=40034

Segunda parte:
http://iptv.usp.br/portal/video.action?idItem=40040

Resumidamente, as palestras trataram dos seguintes tópicos:

A definição do livro de artista como dilema – por Paulo Antonio de Menezes Pereira da Silveira

(Professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul)

Abordou a definição de “livro de artista”, expressão associada primeiramente a edições específicas da arte contemporânea, surgida espontaneamente e com objetividade nos anos 1970. Nas décadas seguintes passou a ser discutida, reivindicada ou mesmo inadequadamente interpretada, sobretudo por artistas, fenômeno que prossegue nos anos 2000.

Uma reflexão sobre as potencialidades e os conceitos que traduzem o “Livro de artista” – por Silvana Novaes Ferreira

(Professora da Escola Superior de Propaganda e Marketing)

Partindo de uma reflexão sobre os conceitos que traduzem o Livro de Artista, a apresentação abordou as potencialidades de exploração acadêmica junto aos alunos de Graduação em Design da ESPM. No Projeto de graduação em Design PGD os alunos podem optar pela modalidade “Experimental” e muitos escolhem o formato de livro de Artista. A palestra mostrou e explicou a metodologia desenvolvida, as etapas de desenvolvimento dos projetos e os resultados finais.

Clique no link para ver os slides:  Silvana Ferreira

O livro pensado através – por Lucia Mindlin Loeb

(Artista e pesquisadora em Artes Visuais, doutoranda da ECA/USP)

A artista mostrou seu trabalho e contou um pouco do processo de criação e produção dos livros obra/objeto/escultura que vem produzindo desde 2006. Lucia trabalha com fotografia desde 1991 e, buscando um novo suporte para as imagens, começou a investigar e experimentar a construção de uma série de livros objetos, que utilizam procedimentos tais como repetição de imagens, deslocamentos, sobreposições, cortes e furos, entre outros.

Clique no link para ver os slides: o livro através

Lúcia mostrou alguns de seus trabalhos documentados em vídeo:

Memória fotográficahttps://vimeo.com/257950823

Praiahttps://vimeo.com/207778424

Mestradohttps://vimeo.com/138408266

A formação e o desenvolvimento da Coleção Livro de Artista na UFMG – por Diná Marques Pereira Araújo

(Bibliotecária Coordenadora da Divisão de Coleções Especiais e Obras Raras – UFMG)

A Coleção Livro de Artista da Universidade Federal de Minas Gerais, com mais de 700 itens catalogados, é o maior acervo brasileiro no gênero e a primeira em biblioteca de universidade pública no Brasil. Começou em 2009, com a doação de um conjunto de livros de Alex Flemming, Guto Lacaz, Marilá Dardot e Paulo Bruscky. Em sua apresentação, Diná tratou da prática da organização de um acervo de livros de artistas e seus diversos desafios

O catálogo da coleção de livros de artistas da UFMG pode ser consultado neste blog:

https://colecaolivrodeartista.wordpress.com/

Fonte: Redarte – SP

III Seminário de Informação e Documentação em Arte da Redarte-SP

REALIZAÇÃO

Departamento de Informação e Cultura (CBD)
Coordenadora: Profa. Dra.  Cibele Araújo Camargo Marques dos Santos
Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Vânia Mara Alves Lima

Evento: III Seminário de Informação Documentação e Arte – Livro de Artistas: da criação ao acesso
Data: 23 de novembro 2018
Horário: 14h as 17h
Local: Av. Professor Lucio Martins Rodrigues, 443, prédio central – Auditório Lupe Cotrim, 1º andar.

Confira a programação

Inscrição

MAC reabre Biblioteca com acervo de Walter Zanini e inaugura livraria

Acervo foi doado por família de Zanini, primeiro diretor do museu; livraria é especializada em obras sobre arquitetura e arte

(Da esq. p/ dir.) O reitor Vahan Agopyan; o diretor-presidente da Edusp, Lucas Antonio Moscato; o diretor do MAC, Carlos Roberto Ferreira Brandão; a esposa de Walter Zanini, Neusa Zanini; e a professora Cristina Freire – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

Uma cerimônia, realizada no dia 27 de agosto, marcou a reabertura da Biblioteca Lourival Gomes Machado e a inauguração de uma Livraria da Editora da USP (Edusp) no prédio do Museu de Arte Contemporânea (MAC), localizado no Parque do Ibirapuera, em São Paulo.

A Biblioteca reabre com uma novidade: a incorporação dos 12 mil exemplares doados pela família de Walter Zanini, primeiro diretor do MAC, falecido em 2013.

Zanini foi diretor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, historiador, crítico de arte e curador. Dirigiu o MAC de 1963 a 1978. Teve importante papel na criação do Departamento de Artes Plásticas da ECA e do Programa de Pós-Graduação em Artes, pioneiro no Brasil na concessão de títulos de mestre e doutor nessa área.

“A doação da Biblioteca de Walter Zanini torna o MAC ainda mais singular e importante como, um dia, seu primeiro diretor imaginou. Trata-se do legado que mostra a grandeza do historiador e intelectual brasileiro que Zanini foi”, afirmou a professora titular e curadora do museu, Cristina Freire, em seu discurso de abertura da cerimônia.

O reitor da USP, Vahan Agopyan, agradeceu a generosidade e o altruísmo da família Zanini em compartilhar a coleção. “Com a doação, duplicamos nosso acervo e passamos a oferecer aos usuários uma das mais importantes bibliotecas públicas de arte contemporânea do País”, destacou o reitor.

Foram incorporados à Biblioteca os 12 mil exemplares doados pela família de Walter Zanini – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

Outro importante espaço que passa a fazer parte do prédio do MAC é a nova livraria da Edusp, instalada no mezanino, em uma área de 80 metros quadrados. A livraria será a primeira da editora especializada em livros de artes e arquitetura. Também haverá um espaço dedicado para eventos de lançamento das obras editadas pela Edusp.

“Essa nova livraria reforça uma das principais missões da Universidade, que é a extensão cultural, e nos dá a oportunidade de apresentar ao público o catálogo qualificado de obras produzidas por nossa editora”, avaliou o diretor-presidente da Edusp, Lucas Antonio Moscato.

Para o diretor do museu, Carlos Roberto Ferreira Brandão, tanto a Biblioteca quanto a livraria da Edusp são importantes instrumentos para expandir a presença do MAC na cidade e fazem parte do projeto de ampliar as atrações do museu para o público.

Em abril deste ano, foi inaugurado o Restaurante Vista, localizado no último andar do prédio. O restaurante tem capacidade para 120 lugares e faz parte do complexo gastronômico do MAC, que já conta com uma cafeteria, o Vista Café, inaugurada em julho de 2017.

Essa é a primeira livraria da Edusp especializada em obras de arquitetura e artes – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

Fonte: Jornal da USP