Página inicial / Sistema CFB/CRB / CRB8 / Brasil comemora Dia do Bibliotecário

Brasil comemora Dia do Bibliotecário

Revoluções tecnológicas estabelecem novos mercados para a profissão que também está aquecida com a Lei da Universalização das Bibliotecas Escolares

Publicado por Cristina Aguilera

No dia 12 de março é celebrado em todo o Brasil o Dia do Bibliotecário.

A data é em homenagem ao nascimento de Manuel Bastos Tigre (1882-1957), considerado o primeiro bibliotecário por concurso, no Brasil.

Para homenagear os profissionais da área, o Conselho Regional de Biblioteconomia 8ª região vai realizar no mês de março vários eventos em São Paulo (capital) e nas cidades de São Carlos, Ribeirão Preto, Campinas, Bauru e Taubaté.

Na capital paulista, o Sesc 24 de Maio, no Centro de São Paulo, receberá no dia 10 de março, terça-feira, das 18h30 às 22h, a palestra “A importância do conhecimento e da informação no contexto das transformações digitais: competências sócio emocionais, gestão do conhecimento e o trabalho do futuro”, ministrada pela profa. Dra. Rose Longo, PhD em Transferência de Tecnologia pela University of Sheffield Inglaterra.

Também haverá, às 20h, um pocket show com a  bibliotecária e cantora Luciana Lys.

E outro  às  20h25 com o duo Siqueira Lima.

Formado pela uruguaia Cecília Siqueira e Fernando de  Lima,  a apresentação mistura gêneros como clássico, barroco e música brasileira.

A programação na capital continua no dia 16/03, às 19h, com uma sessão solene em comemoração ao Dia do Bibliotecário, na Câmara Municipal de São Paulo, por iniciativa do vereador Rodrigo Goulart.

Após a solenidade está programada uma mesa-redonda com o tema “Patrimônio bibliográfico e documental: a biblioteca como espaço de preservação da memória” com a participação das pesquisadoras Maria das Merces Apóstolo e Rosaelena Scarpeline.

De acordo com a presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia – 8ª região, Regina Celi de Sousa, a ideia desses eventos é salientar a importância do profissional bibliotecário e pensar sobre os desafios e possibilidades da profissão diante do avanço tecnológico, que implica no desenvolvimento de novos produtos e serviços informacionais e na preservação da informação e dos documentos, tanto em bibliotecas físicas quanto em bibliotecas digitais e virtuais.

Contagem regressiva:

Em maio de 2020, termina o prazo da Lei 12.244.

A Lei regulamenta que todas as instituições de ensino públicas e privadas do Brasil tenham bibliotecas.

A legislação, sancionada em 24 de maio de 2010, também obriga todos os gestores a providenciarem um acervo de, no mínimo, um título para cada aluno matriculado.

No entanto, faltando apenas poucos meses para o fim do prazo, a realidade é bem diferente. Passados quase dez anos que Lei da universalização das bibliotecas escolares foi aprovada, ainda há muitas escolas desprovidas de biblioteca, sem que haja sanção pelo descumprimento da Lei.

Muito mais que livros:

As bibliotecas hoje não são mais meios exclusivos de acesso a informações. Elas ampliaram suas funções, atuando como espaço de exercício cultural.

Esse fato é mais evidente nas bibliotecas públicas, escolares e comunitárias.

Nelas, os livros e outras fontes de informações estão disponíveis de maneira gratuita para os usuários.

Nesses espaços ocorrem cursos, oficinas, encontros com escritores, clubes do livro, espetáculos, entre outras atividades.

Os usuários se tornam protagonistas, pois ajudam a escolher os novos títulos que serão adquiridos.

São espaços inclusivos e democráticos. E o bibliotecário é o mediador entre os a informação e os usuários.

No que tange as bibliotecas universitárias e especializadas, o bibliotecário colabora na visualização e quantificação de dados.

Também na análise do comportamento de redes sociais e na gestão e organização da documentação especializada.

Além de atuar  na implantação de bibliotecas digitais, repositórios digitais e temáticos, base de dados e outros serviços e produtos de informação que possibilitam a recuperação da informação nos seus variados suportes.

Assim, o profissional contribui, por exemplo, no desenvolvimento de pesquisas científicas, no processo decisório em empresas, escritórios de advocacia.

Além de hospitais e no subsídio para formulação de projetos leis nas câmaras municipais e assembleias legislativas.

Para atuar nesses diversos ambientes, o bibliotecário precisou se reinventar.

As novas tecnologias de informação e comunicação passou a exigir do profissional novas competências.

Na essência, porém, algo se manteve: Bibliotecário é quem sabe cuidar de grandes acervos, sejam eles impressos ou digitais.

Serviço: Dia do Bibliotecário 2020 – Programação:

Data: São Paulo – 10 de março de 2019, 18h30 a 22h.

Palestra:  A importância do conhecimento e da informação no contexto das transformações digitais: competências sócio emocionais, gestão do conhecimento e o trabalho do futuro”. Profa. Dra. Rose Longo.

Pocket show: Luciana Lys (20h)  e  duo Siqueira Lima (22h25)

Local: Sesc 24 de Maio – Rua 24 de Maio, 109 – República

Dia: 16/03, às 19h, sessão solene em comemoração ao Dia do Bibliotecário na Câmara Municipal de São Paulo.

Mesa-redonda com o tema: “Patrimônio bibliográfico e documental: a biblioteca como espaço de preservação da memória”

Inscrições gratuitas: http://www.crb8.org.br/comemoracao-dia-do-bibliotecario-2020-sao-paulo

Foto: João de Pontes Junior

Fonte: EGOBrazil

Sobre admin

Check Also

Boletim Estatístico das Bibliotecas Públicas de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *