Página inicial / Biblioteconomia / Bibliotecárias(os) / Bibliotecários levam literatura até os lares brasileiros

Bibliotecários levam literatura até os lares brasileiros

Vestida de Emília, a bibliotecária Regina Garcia Brito lê Reinações de Narizinho”. Fotos: Priscila Ferreira

Bibliotecários gravam vídeos para levar literatura até os lares brasileiros

Nesse momento mundial tão difícil, onde todos nós estamos unidos no combate a disseminação do coronavírus, inclusive  com escolas e bibliotecas fechadas, o Conselho Regional de Biblioteconomia 8ª região (CRB-8) convidou a todos os bibliotecários do Estado de São Paulo para que ajudem a levar a literatura para dentro das casas brasileiras.

Por meio de uma campanha voluntária e solidáriabibliotecários vêm gravando vídeos, lendo livros. Ou ainda trechos deles para as crianças de todo o Brasil. De certo, esses vídeos, postados no Canal do YouTube do CRB-8,  estimulam, portanto,  que muitas crianças continuem  então tendo acesso a literatura, mesmo com as bibliotecas fechadas.

Incorporando personagem: 

Assim, muitos bibliotecários já aderiram a Campanha. Regina Garcia Brito, de 42 anos, está gravando vídeos lendo capítulos do livro “Reinações de Narizinho”, de Monteiro Lobato. Regina então surpreendeu a todos se vestindo como a personagem Emília. Inclusive, já que precisava dos óculos para fazer a leitura explicou na gravação “Vocês devem estar se perguntado, boneca usa óculos? Psiu, então eu peguei os óculos da dona Benta, se não como eu iria ler aqui para vocês”.

Segundo Regina Garcia Brito, que está em férias, e vem preparando os vídeos em casa, ela não tem filhos, mas imagina o grande desafio que as mães estão passando para entreter as crianças com atividades de qualidade. Portanto aderiu à campanha do CRB-8.

A bibliotecária conta ainda que não foi a primeira vez que se vestiu de Emília. Ela atua na Biblioteca Céu Azul da Cor do Mar, na Zona Leste de São Paulo. A primeira vez que se vestiu de Emília em 2018 foi para receber os bebês que estavam chegando pela primeira vez a escola.

A boneca Emília tem uma relação afetiva com os adultos e também muitas crianças são apresentadas para esse importante personagem da literatura brasileira. Além disso, nem todos a conhecem, uma vez até me perguntaram se eu era o Patati, dos palhaços Patati Patatá”, contou Regina. Ela  salientou ainda a importância de ficar em casa para prevenir o agravamento da pandemia.

Bibliotecários emocionam: 

Mostrando bem a realidade das mães brasileiras que estão trabalhando em casa, a bibliotecária Kelly Cristina Souza de Araujo Andrade, que atua em Itapetininga, precisou se virar para contar uma história ao lado da mãe Maria Joana e de seu pequeno filho Felipe, que não parava por um minuto durante a gravação. Mas quem assiste ao vídeo se emociona com o livro “A Colcha de Retalhos”, de Conceil Corrêa da Silva. A história está relacionada ao momento atual, pois fala do relacionamento de avó e neto e o sentimento de saudades.

Assista: “A Colcha de Retalhos” (Conceil Corrêa da Silva) – Bibliotecária Kelly Cristina S. de A. Andrade 

Já a bibliotecária de Cajamar, Celita Lima Bastos Alves, fez um vídeo com ajuda da criança Vitória. Ambas contaram a história “Bruxa, bruxa venha a minha festa”, de Arden Druce.

Ruth Rocha: 

Uma das mais importantes escritoras brasileiras de literatura infanto-juvenil, Ruth Rocha, foi lembrada pela bibliotecária Susan Sanches Bueno Modesto, do Sesi de São José dos Campos, que leu o livro “A Coisa”.  Além disso, a  escritora também foi recomendada pela bibliotecária Adriana Pimpinatti Zuffo. Adriana, além de contar, também ilustrou a história “A Primavera da Lagarta” (Ruth Rocha).

Da mesma forma, a bibliotecária Roselene Mariane Medeiros gravou vários vídeos. Entre eles, “Lulu Adora Histórias”, de Anna McQuinn, que também fala da importância da biblioteca.

Assista ao vídeo: “A Primavera da Lagarta” (Ruth Rocha) –  Bibliotecária Adriana Pimpinatti Zuffo 

De acordo com a presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia – 8ª região, Regina Celi de Sousa, entre as muitas funções do bibliotecário, especialmente o escolar, está a formação de leitores infantis.

A escola e a biblioteca podem atuar juntas promovendo o protagonismo das crianças desde a Educação Infantil. Nesse momento de isolamento social, com a ajuda da tecnologia e da solidariedade podemos promover à contação e levar boas histórias para nossas crianças”, lembrou ela.

Enfim, os vídeos  estão postados  no Canal  YouTube do CRB-8. Inclusive novas histórias vem sendo postadas mensalmente. Visando, assim, levar literatura de qualidade para crianças. 

Serviço:

Home office da Leitura: História contadas por bibliotecários

Veja também: Canal do YouTube do CRB-8

Fotos: Priscila Ferreira e João de Pontes Junior – Divulgação / Arquivo pessoal

Fonte: Cristina Aguilera com informações do CRB-8

Assessoria de imprensa

Fonte: Ego Notícias

Sobre admin

Check Also

Boletim Estatístico das Bibliotecas Públicas de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *