Página inicial / Biblioteconomia / Bibliotecas / Bibliotecas Públicas / Biblioteca usa o meio digital para atrair leitores

Biblioteca usa o meio digital para atrair leitores

blog da biblioteca tem dez anos, mas há dois começou a ter mais postagens e dados sobre a história de Montenegro

Reestruturação do blog, fanpage e um futuro sistema de reservas on-line buscam aproximar o público

Em uma sociedade em que a internet está presente em quase todas as camadas, muitas empresas e até serviços públicos precisaram adaptar-se ao meio digital. E a Biblioteca Municipal Hélio Alves de Oliveira não deixou de acompanhar este fenômeno. Com a reestruturação e o aumento de postagens em seu blog, o uso das redes sociais – com a fanpage no Facebook – e um projeto de consultas e reservas do acervo on-line, a instituição trabalha para, por meio da internet, ser mais acessível e próxima do seu público.

“A internet é uma coisa que está muito forte hoje em dia. A biblioteca não poderia ficar sem essa evolução”, avalia a bibliotecária Alexandra Flores. Hoje, o carro-chefe desta fase do projeto é o blog “bibliotecapublicademontenegro”, que pode ser acessado diretamente ou clicando em um link na guia “Biblioteca”, que fica no site da Prefeitura Municipal. Ali estão dicas de leituras e divulgação de eventos. Além disso, o portal vem sendo alimentado com informações extras há dois anos e está se transformando em uma importante fonte de pesquisa.

“A ideia é tornar esse blog uma base de conhecimento onde seja registrada parte da história do município”, resume o agente administrativo Luciano Marcos Paes, que está à frente da iniciativa. “Muitas vezes têm pesquisas sobre determinados temas que, com o tempo, vão se repetindo. Então a ideia é transformar esse portal em uma ferramenta de pesquisa, onde a pessoa já possa fazer um acesso prévio.” Uma das metas, para isso, é digitalizar obras icônicas que narram a história local — como a “Montenegro Ontem e Hoje” e a “Traços Biográficos” — para que fiquem acessíveis na internet.

Ana Valdeti Martins, diretora da Biblioteca; Luciano Paes, agente administrativo; e Alexandra Flores, bibliotecária

Já disponível, mas ainda em desenvolvimento, o portal tem a sessão “Personagem da Rua”, que lista todas as pessoas que dão nome às vias montenegrinas – como Buarque de Macedo e Ernesto Zietlow – com fotos e suas biografias. Até um ponto da história, existem publicações com estas informações prontas, que estão sendo transferidas ao blog, mas há uma lacuna. Diante disso, Luciano explica que tem usado um mapa da cidade para apontar cada uma dessas figuras e ir atrás de informações sobre ela.

Planos para o portal não faltam. Dentre eles, está a disponibilização de algumas pesquisas históricas, como o estudo “Os bugres de nossa região”, do historiador Ernesto Arno Lauer, que já constam na íntegra para consulta, por exemplo. Luciano também localizou um acervo de fitas VHS com registros de eventos antigos feitos pela Prefeitura, que estão sendo digitalizados e identificados para serem disponibilizados ao público. O registro da primeira Festa da Bergamota está entre eles.

Portal vai tornar o empréstimo mais prático
Em 2016, o município adquiriu o software Pergamum – um programa de informatização já utilizado por grandes bibliotecas, como a da Unisinos. A partir dele, é possível que o usuário consulte os títulos disponíveis e faça reservas e renovações pela internet, utilizando seu computador ou smartphone e sem a necessidade de sair de casa. Internamente, todo o cadastro de livros e a emissão dos códigos de barra para controle ocorre com a mesma ferramenta.

O Pergamum ainda não está funcionando. Desde a sua aquisição, a equipe da Biblioteca trabalha para alimentar a base de dados com o acervo já existente. A bibliotecária Alexandra Flores conta que todos os livros de literatura e os infantis já estão no sistema, mas diz que a usualidade só será disponível ao final de todo o cadastro.

O processo é demorado, pois, paralelo a ele, também está ocorrendo a avaliação das obras por uma comissão da Prefeitura que está analisando, título a título, o que ficará na Biblioteca e o que será repassado para escolas ou outros projetos. A expectativa é que quando a instituição voltar para seu prédio original no Centro – ela funciona no Parque Centenário desde 2012, enquanto sua “casa” está em reformas – o novo software esteja em funcionamento. A promessa da Prefeitura é que a mudança ocorra no ano que vem.

Fonte: Jornal IBIA

Sobre admin

Check Also

Biblioteca Municipal de Itaquá tem livros disponíveis para empréstimo diferenciado nesta quarentena

Texto por Itaquá Você sabia que grandes obras literárias surgiram em tempos de quarentena? Exemplos disso …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *