Página inicial / Biblioteconomia / Bibliotecas / Bibliotecas Públicas / BIBLIOTECA MUNICIPAL COMPLETA 80 ANOS

BIBLIOTECA MUNICIPAL COMPLETA 80 ANOS

Hoje, a biblioteca é um dos locais que guardam a memória viva da cidade de Piracicaba. (Foto: Claudinho Coradini / JP)

Inaugurada em 31 de maio de 1939, a Biblioteca Municipal de Piracicaba Ricardo Ferraz de Arruda Pinto completa amanhã 80 anos em funcionamento. Ela foi a primeira biblioteca pública do interior paulista, fundada pelo prefeito da época e que hoje lhe dá o nome: Ricardo de Arruda.

Com uma história que se mistura ao desenvolvimento da cidade, a biblioteca contava, inicialmente, com 873 livros, organizados pelo bibliotecário da Esalq, Israel Gil, e pelo ex-editor chefe do Jornal de Piracicaba, Leandro Guerrini, que dirigiu a biblioteca por 28 anos. A primeira sede da Biblioteca de Piracicaba foi instalada em duas salas do antigo Paço Municipal, local onde hoje funciona o estacionamento da Câmara de Vereadores de Piracicaba. Ali, os livros se alojaram por apenas um ano, e mais uma série de trocas de sedes se deram ao longo do tempo, até que, em 2010 a biblioteca passou a ocupar seu prédio próprio, na avenida Saldanha Marinho.

Hoje, o acervo conta com mais de 96 mil volumes, entre romances, poemas, livros científicos e muitos outros gêneros. Todos eles podem ser consultados diretamente no site da Biblioteca de Piracicaba e, para emprestar algum dos livros, é necessário realizar o cadastro à moda antiga: levando os documentos pessoais no local.

A importância da Biblioteca de Piracicaba para as pesquisas e difusão de conhecimento na cidade não pode ser negada, principalmente nos períodos pré-internet, ou quando a tecnologia ainda dava seus primeiros passos.

Prova disso é Raquel dos Santos, estudante, que, mesmo com apenas 20 anos, também aproveitou muito os livros disponíveis no local para a realização de pesquisas escolares. “No ensino fundamental eu não tinha computador e acesso à internet em casa, e minha escola também não dispunha de laboratório de informática, portanto eu recorria à biblioteca para a realização das minhas pesquisas. Era o meio mais seguro de se obter informações”, relembra. “A biblioteca também foi muito importante para a minha formação porque lá temos acessos a outros conteúdos além do que buscamos. Eu ia lá buscar um livro e acabava trazendo quatro ou cinco para casa”.

Com a passagem dos anos, a Biblioteca Municipal de Piracicaba também se tornou um local que guarda as memórias da cidade. Diversas histórias piracicabanas ao longo desses 80 anos encontram repouso nas prateleiras do local, até que alguém resolva remexer os livros para pesquisas que resgatam os acontecimentos da cidade. Esse é o caso de Laís Seguin, 20, que utilizou o acervo histórico da biblioteca em boa parte de seus trabalhos acadêmicos. “Precisamos ver a biblioteca além dos livros, mas no sentido histórico e de acervo, com a possibilidade de conhecermos outras décadas e acontecimentos de antes mesmo de nascermos”, afirma. “A biblioteca abre muito espaço para artistas piracicabanos e para catalogação de textos, mesmo os autorais. Então pra mim, manter esse local vivo é muito importante”.

 

BIBLIOTECA GUARDA 119 ANOS DE PUBLICAÇÕES DO JP

Matéria de 1939 informa sobre abertura da biblioteca ao público. (Foto: Arquivo JP)

Jornal de Piracicaba tem muito de sua história interligada à Biblioteca Municipal de Piracicaba Ricardo Ferraz de Arruda Pinto, que guarda em microfilme acervo de publicações do jornal desde 1900, ano de sua fundação, a 1995. A partir daí, e até os dias atuais, o material pode ser encontrado encadernado.

A importância desse cuidado em armazenamento das informações jornalísticas, de acordo com o historiador Vitor Pereira, está no resgate da história e acontecimentos importantes, que marcaram o século 20 no Brasil e em Piracicaba. “Preservar o jornal é preservar também as ideias que circulavam na época, o comportamento do período e o que estava sendo debatido no momento”, afirma. “O jornal era um dos modelos de comunicação mais centrais no século 19 e início do século 20, e por meio da preservação do documento podemos abstrair teorias históricas, portanto isso se torna importante para o historiador e para a sociedade”.

Esse é o caso da publicação do JP em 27 de maio de 1939, que anunciava a inauguração da biblioteca da cidade, a qual aconteceria no dia 31 do mesmo mês, e outra que relembra a população sobre o evento no dia de seu acontecimento. No texto original a anúncio foi publicado da seguinte maneira: “Como já tivemos a oportunidade de noticiar, a Biblioteca Pública Municipal está muito bem instalada nas salas das sessões da Câmara, contando com montante apreciável de livros sobre ciências, artes, literaturas, manuais técnicos, revistas, etc. Por hora, até que se ultimem os trabalhos de organização, será franqueada ao público só a noite”, diz o texto datado da quarta-feira, 31 de maio de 1939 e disponível para consulta no acervo microfilmado da Biblioteca Municipal de Piracicaba.

“As bibliotecas são um espaço cultural de circulação de ideias e de preservação da história, e é muito importante uma biblioteca como a nossa em Piracicaba para preservação das memórias locais e regionais”, ressalta Pereira.

 

Mariana Requena
mariana.requena@jpjornal.com.br

Fonte: Jornal de Piracicaba

Sobre admin

Check Also

Projeto de leitura para pessoas acima de 60 anos está com inscrições abertas em Itapetininga

Segundo a prefeitura, a iniciativa é totalmente digital e segura. Acervo virtual possui mais de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *