Página inicial / Notícias / Ao lado de um cemitério, biblioteca transforma vida de moradores de Parelheiros em SP

Ao lado de um cemitério, biblioteca transforma vida de moradores de Parelheiros em SP

Uma das atividades que acontecem no espaço é o ‘Cortejo e leitura’, projeto que tem o objetivo de discutir a vida e a morte através da literatura
Marcos Santos/USP Imagens

Parelheiros, extremo sul da capital paulista. Uma região muito carente de cultura e lazer é também um lugar onde os moradores nunca perderam a esperança.

Uma iniciativa transformou a vida das pessoas, não só no bairro de Colônia, mas dos vizinhos também. Caminhos da leitura é mais que a única biblioteca da região, é um horizonte de um futuro melhor pra quem ajudou a criar esse espaço.

Como é o caso de uma das fundadoras, Cidinéia Chagas, de 27 anos. “O acesso a um livro é um pouco difícil, principalmente pôr a gente estar em uma região periférica. A biblioteca e o CEU Parelheiros são dois equipamentos culturais, as são poucos pensando no número de habitantes.”

A biblioteca é mantida pelo Instituto Brasileiro Estudos Apoio Comunitário. Até hoje a subprefeitura de Parelheiros nunca ajudou no projeto, só ficou mesmo nas promessas

Irmã de Cidinéia, Silvani Chagas adora poesia e sempre lê para as crianças e adultos. No meio de pouco mais de 5 mil livros ela escolheu o poema na varanda de Sonia Junqueira.

No meio de tanta gente boa que frequenta essa casa, cito um poema da escritora Martha Medeiros que me leva a conhecer um outro lugar pertinho dali, tão diferente e tão silencioso quanto a biblioteca. O poema chama a morte devagar.

Rafael Simões tem 26 anos e é articulador e gestor da biblioteca. Ele conta que ter um cemitério a poucos metros o fez criar um sarau do terror.

Um dos nossos formadores nos questionou: vocês tem vergonha ou orgulho de estar no espaço do cemitério? A gente tem orgulho. E nós reescrevemos o projeto ‘Cortejo e leitura’ e usamos o espaço para fazer um sarau do terror, que na verdade de terror não tem nada. A gente usa a literatura para discutir a vida e a morte no local.”

*Com informações do repórter Victor Moraes

Fonte: Jovem Pan

Sobre admin

Check Also

Livro de Patrícia Palma revela rede de bibliotecas religiosas que contribuiu para cultura escrita no século XVIII

Samuel Mendonça 13 de Novembro de 2019 Cultura Deixe um comentário Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo A …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *