Página inicial / Biblioteconomia / Bibliotecas / A biblioteca e o amor pelos livros

A biblioteca e o amor pelos livros

Um lugar de estudos, novas ideias, grandes reflexões

No Arnaldo Danemberg Antiquário, em São Paulo, a estante de farmácia é transformada em biblioteca. Ambientação: Lu Kreimer. (Divulgação/Arnaldo Danemberg Antiquário)

Tenho paixão por livros! Enquanto nos dedicamos à leitura, viajamos por outros mundos, por outras épocas e conhecemos outras culturas, outras mentalidades. Desde o início da nossa civilização, a biblioteca é um lugar sagrado, um bom termômetro da cultura e dos interesses de um povo. Junto aos livros, vivemos muitas vidas, ampliamos nosso conhecimento, descobrimos inúmeros fatos que sequer imaginávamos. O resultado? Uma vida mais rica e interessante.

Esse apego às letras me levou a prestar atenção aos móveis que compõem uma biblioteca. Suas mesas grandiosas, suas poltronas tão diversas, as estantes dispostas em fileiras, os apoiadores de livros, as estantes giratórias e, claro, todos os apetrechos que envolvem a escrita, desde os objetos de couro até as canetas tinteiro. Cumpre a nós resgatar, manter, conservar aquilo que nos dá prazer e encantamento. E celebrar o gosto pela pesquisa e pela escrita.

Em setembro de 2001, tive a honra de ser convidado pela historiadora Mary del Priore para montar um ambiente de leitura na exposição Razão, Memória e Imaginação: 250 anos da Encyclopédie, promovida pelo Arquivo Nacional no Rio de Janeiro, no Espaço Cultural dos Correios. Ali nascia meu gosto por esse tipo de espaço, que passei a chamar de “The Library”. Para mim, são cenários especiais, que remetem ao convívio com os livros. Montei também outras ambientações, como o gabinete de advocacia, no térreo do Edifício Chopin, na cidade do Rio de Janeiro; a “Library” do Copacabana Palace, em que gastronomia e livros dividem lugar; e nosso próprio Antiquário, em São Paulo, onde temos uma vitrine antiga de farmácia adaptada como biblioteca. Numa “Library”, partimos em busca de muitos mundos, aguçamos nossa curiosidade, nos tornamos maiores. Dividir essa paixão com você é, para mim, uma grande alegria. Espero que goste!

No Arnaldo Danemberg Antiquário em São Paulo, a estante de farmácia é transformada em biblioteca. Ambientação: Lu Kreimer.
No Arnaldo Danemberg Antiquário em São Paulo, a estante de farmácia é transformada em biblioteca. Ambientação: Lu Kreimer. (Rafael Barros/Arnaldo Danemberg Antiquário)
Ambientação da biblioteca (The Library) do Belmond Copacabana Palace. Curadoria: Arnaldo Danemberg. Ambientação: Lu Kreimer.
Ambientação da biblioteca (The Library) do Belmond Copacabana Palace. Curadoria: Arnaldo Danemberg. Ambientação: Lu Kreimer. (Divulgação/Arnaldo Danemberg Antiquário)
Ambientação da biblioteca (The Library) do Belmond Copacabana Palace, onde também são promovidos jantares em ocasiões especiais. A gastronomia e a leitura lado a lado. Curadoria: Arnaldo Danemberg. Ambientação: Lu Kreimer.
Ambientação da biblioteca (The Library) do Belmond Copacabana Palace, onde também são promovidos jantares em ocasiões especiais. A gastronomia e a leitura lado a lado. Curadoria: Arnaldo Danemberg. Ambientação: Lu Kreimer. (Divulgação/Arnaldo Danemberg Antiquário)
Instituto Luiz Gouvêa, Ed. Chopin, Rio de Janeiro. A mobília clássica com a imponente estante portuguesa em pinho de Riga da segunda metade do século XIX convive harmoniosamente com a mesa gateleg inglesa em carvalho do século XVIII e poltronas francesas do século XIX com forração em tecido. Curadoria: Arnaldo Danemberg. Arquitetura: Marcelo Moura.
Instituto Luiz Gouvêa, Ed. Chopin, Rio de Janeiro. A mobília clássica com a imponente estante portuguesa em pinho de Riga da segunda metade do século XIX convive harmoniosamente com a mesa gateleg inglesa em carvalho do século XVIII e poltronas francesas do século XIX com forração em tecido. Curadoria: Arnaldo Danemberg. Arquitetura: Marcelo Moura. (Rodrigo Azevedo/Arnaldo Danemberg Antiquário)
Instituto Luiz Gouvêa, Ed. Chopin, Rio de Janeiro. Curadoria: Arnaldo Danemberg. Arquitetura: Marcelo Moura.
Instituto Luiz Gouvêa, Ed. Chopin, Rio de Janeiro. Curadoria: Arnaldo Danemberg. Arquitetura: Marcelo Moura. (Rodrigo Azevedo/Arnaldo Danemberg Antiquário)
Biblioteca ambientada na exposição “Razão, Memória e Imaginação: 250 anos da Encyclopédie”, do Arquivo Nacional. Ambientação e Acervo: Arnaldo Danemberg Antiquário.
Biblioteca ambientada na exposição “Razão, Memória e Imaginação: 250 anos da Encyclopédie”, do Arquivo Nacional. Ambientação e Acervo: Arnaldo Danemberg Antiquário. (Divulgação/Arnaldo Danemberg Antiquário)

Fonte: Casa Claudia

Sobre admin

Check Also

Atualização dos dados de 2019 Bibliotecas SisEB – Prorrogação de prazo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *