Página inicial / Notícias / 6 Filmes que retratam a importância da leitura

6 Filmes que retratam a importância da leitura

Prepare a pipoca e veja a lista que fizemos

POR:Anna Rachel Ferreira

 
Cena do filme A Menina que roubava livros  Crédito: Fox Filmes

Veja a seguir uma breve lista com 6 filmes que mostram a importância da leitura e da escrita. 

Kate Winslet é o personagem central de O Leitor   Crédito: Imagem Filmes

O Leitor (Stephen Daldry, 123 min, Imagem Filmes)
Na Alemanha pós 2ª Guerra Mundial, o adolescente Michael Berg se apaixona por uma mulher com o dobro da sua idade, Hanna Schimitz. Eles vivem uma intensa história de amor e passam tardes em que ela deixa a imaginação voar pelas narrativas lidas pelo rapaz. Oito anos depois, Berg descobre que Hanna está sendo julgada por executar ordens nazistas e a antiga relação dos dois pode ser a prova da inocência da alemã. Um filme que trata o tema de forma delicada e crua ao mesmo tempo, com uma atuação maravilhosa de Kate Winslet.

Fernanda Montenegro em cena de Central do Brasil   Crédito: Divulgação

Central do Brasil (Walter Salles, 113 min, Europa Filmes)
Dora, interpretada pela diva Fernanda Montenegro, escreve cartas para analfabetos na estação Central do Brasil, no centro do Rio de Janeiro. Mas, isso não a faz uma pessoa sensível. Muito pelo contrário, ela acredita que as correspondências são inúteis e fantasiosas. Tudo muda quando se compadece de Josué, um garoto de 9 anos, cuja mãe enviava cartas ao pai por meio dela. Quando a mãe do menino morre, ela o ajuda a encontrar esse progenitor que nunca conheceu. O filme foi indicado a melhor filme em língua estrangeira no Oscar de 1999.

Cena do filme A Menina que roubava livros    Crédito: Divulgação

A Menina que Roubava Livros (Brian Percival, 131 min, Fox Filmes)
Liesel Meminger é uma garota que lida com o horror da 2ª Guerra Mundial pela leitura. Ela rouba livros que estão dando sopa ou que estão correndo risco em uma fogueira ou que ela simplesmente queira muito. Ela ama os livros e acredita que eles devem ser partilhados, inclusive com um judeu que foi escondido por seu padrasto na casa deles.

Cena do filme Mãos Talentosas – A História de Ben Carson   Crédito: Divulgação

Mãos Talentosas: A História de Ben Carson (Thomas Carter, 86 min, Netflix)
O filme conta a história real do diretor do departamento de Neurocirurgia Pediátrica do hospital Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Ele era um menino pobre, negro de mãe separada e analfabeta. Não tinha um bom desempenho na escola, nem acreditava que fosse capaz de ter. Mas, quando sua mãe repara na biblioteca de seu patrão, ela tem a ideia de fazer com que ele leia 2 livros por semana. Essa rotina modifica completamente a postura de Ben diante da vida e se constitui nos primeiros degraus para sua chegada à neurocirurgia.

Crédito: Divulgação

Minhas Tardes com Margueritte (Jean Becker, 82 min, Netflix)
Nesse filme francês, o faz-tudo e simplório Germain constrói uma linda amizade com Margueritte, uma senhora de 95 anos apaixonada pela literatura. Ela divide com ele textos de Albert Camus e o faz ver beleza até na leitura de um dicionário. “Viajando com um dicionário, de palavra em palavra, a gente vai sonhando”, ela diz. A relação dos dois abre um novo modo de ver as coisas para Germain que passa a dividir os aprendizados das tardes com todos a sua volta.

Cena do filme Sociedade dos Poetas Mortos   Crédito: Divulgação

Sociedade dos Poetas Mortos (Peter Weir, 128 min, Netflix)
John Keating é um ex aluno que se torna professor de literatura inglesa e norte-americana na tradicional escola Welton Academy. Só que ele não tem nada de tradicional no seu modo de pensar, muito menos no de lecionar. No primeiro dia de aula, já chega assobiando e levando a turma para uma reflexão sobre como fazer que a vida valha a pena. No decorrer da história, eles descobrem que o docente havia participado de uma Sociedade dos Poetas Mortos, um clube de leitura de poesia , e decidem reviver o grupo.

Fonte: Nova Escola

Sobre admin

Check Also

Livro de Patrícia Palma revela rede de bibliotecas religiosas que contribuiu para cultura escrita no século XVIII

Samuel Mendonça 13 de Novembro de 2019 Cultura Deixe um comentário Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo A …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *