Página inicial / Eventos / Diálogos no Museu | A Formação do Acervo Institucional do Museu da Cidade

Diálogos no Museu | A Formação do Acervo Institucional do Museu da Cidade

A Formação do acervo institucional do Museu da Cidade

Dando sequência à nossa programação, inaugurada em 16 de abril de 2019, apresentamos o terceiro evento da série O Museu da Cidade: história, acervos e território, que abordará três dos cinco acervos operacionais do Museu da Cidade de São Paulo: fotográfico, arquitetônico e bens móveis. A proposta da ação, além de apresentar e contextualizar historicamente a formação desses acervos é propor reflexões sobre a memória (presença e invisibilidades) do território paulistano a partir da interlocução entre essas coleções.

PROGRAMA 20/08

9h – Credenciamento (inscrições no dia do evento, por ordem de chegada).

9h45 – Abertura            

10h – Painel 1: O Departamento de Cultura e a formação da coleção fotográfica do Museu da Cidade

A criação da Divisão de Documentação Histórica e Social em 1935 bem como a consolidação do Departamento de Cultura em 1936 trouxe, ao Município de São Paulo o recebimento de acervos e consequentemente sua salvaguarda, bem como novas possibilidades culturais acerca da cidade, sua memória e seus territórios. Desde o Departamento de Cultura até os dias de hoje, o Museu da Cidade de São Paulo possui um acervo fotográfico de grande valor histórico e documental, que retrata predominantemente a cidade de São Paulo e suas transformações urbanas nos últimos 150 anos. O painel pretende apresentar e discutir o perfil desse acervo.

Palestrantes:

– Walter Pires (Arquiteto do Departamento do Patrimônio Histórico – DPH/SMC)

– João de Pontes Junior (Bibliotecário do Museu da Cidade de São Paulo – DMU/SMC)

Mediação:

Vera Lúcia Cardim (Socióloga, especialista em Museologia e servidora aposentada da Secretaria Municipal de Cultura)

11h30 – Debate

12h – Almoço e visitas mediadas às exposições do Solar da Marquesa de Santos, Beco do Pinto e Casa da Imagem 

14h – Painel 2: O IV Centenário e a Formação das coleções de bens móveis e arquitetônicas

As comemorações dos 400 anos de fundação da cidade de São Paulo (1954) trouxeram inúmeras reverberações, dentre elas, a restauração da Casa do Bandeirante, localizada no bairro do Butantã com o propósito de reafirmar o possível protagonismo paulista na história do país. Hoje, essa edificação pertence coleção arquitetônica do Museu da Cidade. O painel, portanto objetiva discutir aspectos sobre a formação do acervo arquitetônico em consonância com a aquisição de mobiliários e alfaias coletados nas fazendas do interior de São Paulo e Minas Gerais no intuito de criar ambientações para essas casas históricas no contexto do IV Centenário.

Palestrantes:

– Rosaelena Scarpeline (Bibliotecária, Doutoranda em Historia da Arte IFCH-Unicamp e ex-Diretora da Biblioteca do Centro de Memória da Unicamp)

– Regina Helena Vieira dos Santos (Arquiteta  do Museu da Cidade de São Paulo – São Paulo – DMU/SMC)

Mediação:

-Vera Toledo Piza (Museóloga do Centro Cultural São Paulo – CCSP/SMC)

15h30 – Debate               

16 – Visita mediada com a curadora Gabriela Rios à exposição “Do Cenário ao Museu”.

A mostra reflete a formação do acervo de bens móveis do Museu da Cidade, no contexto histórico do restauro da Casa do Bandeirante e das festividades do IV Centenário de São Paulo (1954).

17h – Encerramento

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA SÉRIE HISTÓRICA

O MUSEU DA CIDADE: HISTÓRIA, ACERVOS E TERRITÓRIO

 16 e 17 de abril – O Museu da Cidade e a representação do território

Percurso institucional, desafios de gestão de acervos e ações extramuros

18 de junho – A cidade como acervo operacional

Memória social, políticas de patrimônio e planejamento urbano

Lugares de memórias difíceis e narrativas periféricas

20 de agosto – A Formação do acervo institucional do Museu da Cidade

O Departamento de Cultura e a formação da coleção fotográfica

O IV Centenário e a Formação das coleções de bens móveis e arquitetônicas

22 de outubro – Entre o tangível e o intangível (desenvolver)

A formação do acervo documental e de história oral

10 de dezembro – O Educativo do Museu da Cidade (em desenvolvimento)

Origens e desafios contemporâneos

O PROJETO DIÁLOGOS NO MUSEU DA CIDADE

Lançado em abril de 2019, o projeto Diálogos no Museu da Cidade foi estruturado a partir de curadoria compartilhada entre os setores da Museologia, Curadoria, Educativo e Arquitetura do museu com o objetivo de apresentar a sua história institucional e, sobretudo, destacar o seu papel social como espaço público privilegiado para as necessárias reflexões sobre as dinâmicas culturais e sociais da cidade de São Paulo.

Nesse sentido, o projeto Diálogos no Museu articula as diferentes ações culturais em desenvolvimento no âmbito do Museu, buscando estruturar as ações curatoriais; oferecer suporte à produção de conteúdo para as futuras exposições; promover a reflexão sobre as exposições em cartaz; desenvolver ações extramuros da instituição (expedições, exposições, caminhadas, dentre outros); estimular a pesquisa acadêmica, interna e externa, a partir dos seus acervos institucionais; e promover a aproximação do museu com as comunidades acadêmica e museológica e a população da cidade sobre a qual a instituição atua, de modo a exercer todo o seu potencial institucional no processo contínuo e dinâmico de construção da cidade física e simbólica.

O MUSEU DA CIDADE DE SÃO PAULO

O Museu da Cidade de São Paulo, instituição pública vinculada ao Departamento dos Museus Municipais da Prefeitura Municipal de São Paulo, caracteriza-se como uma instituição polinucleada, configurada por uma estrutura em rede distribuída pelo território e composta por monumento, logradouro e edificações históricas tombadas. Para além desse acervo arquitetônico, o Museu da Cidade conta ainda com os acervos fotográfico, documental, de bens móveis históricos e de história oral.

Entretanto, o Museu da Cidade nos coloca frente ao desafio de tratar como acervo operacional uma cidade-capital, sede da Região Metropolitana e considerada como uma das capitais mundiais. Caracterizada por um intenso e acelerado processo de construção e transformação urbana, resultante da efervescência econômica do Estado, a cidade de São Paulo acabou por transformar-se em um dos principais polos atrativos de fluxos migratórios internos e externos. Essa combinação de povos e culturas é o que faz de São Paulo uma cidade marcada por uma vitalidade cultural diversificada, que lhe confere, também, o caráter de polo difusor de cultura.

Nesse sentido, cabe ao Museu da Cidade de São Paulo, por meio das suas ações museológicas, estabelecer uma relação articulada com as dinâmicas da vida urbana a fim de compreender seu território e atuar sobre ele com o objetivo de promover o sentimento de pertencimento, a valorização da cidade e a inclusão de distintos sujeitos culturais. Do mesmo modo, sua organização em rede, composta por unidades distribuídas pela cidade, possibilita a esse museu uma atuação simultânea em diferentes pontos de um território dotado de múltiplas centralidades.

Tendo em vista os desafios que nos são apresentados por essa tipologia de museu, demos início ao projeto Diálogos no Museu da Cidade, que tem por objetivo promover ações culturais que cumprem o objetivo de registrar sua história institucional, a formação e consolidação dos seus acervos e a valorização das suas diversas possibilidades de atuação sobre o território no qual está inserido.

Sobre admin

Check Also

X Seminário de Memória Documentação e Pesquisa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *